quinta-feira, 5 de abril de 2007

A verdadeira Páscoa

Todas as pessoas sabem que a Páscoa é uma festa religiosa, mas, se perguntarmos o seu real significado, poucos saberão responder.
A Páscoa teve sua origem pela ocasião da libertação dos hebreus que eram escravos no Egito. Foi uma comemoração antecipada ao que iria suceder no dia seguinte, ou seja, a saída do povo daquele país e da condição de escravos rumo à Terra Prometida.
Nessa comemoração o banquete foi composto por carne assada (oriunda do cordeiro sacrificado), pães sem fermento (o fermento significava impureza) e ervas amargas (para lembrar a amargura da vida de escravidão). Os judeus ainda comemoram a data com esse cardápio e consideram as simbologias.
Para nós cristãos, a Páscoa nos remete à ressurreição de Cristo, o que não deixa de ter uma ligação com a páscoa dos judeus, pois os fatos ocorridos no velho testamento da bíblia estão ligados aos fatos ocorridos no novo testamento. Dessa forma, a libertação do povo hebreu após sacrificar um cordeiro e tingir com o sangue as ombreiras das portas livrando seus filhos da morte e sua trajetória até a terra de Canaã para viver uma nova vida, simboliza a nova vida oferecida por Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, através de sua morte, cujo sangue nos purifica e nos livra da morte espiritual.

Os símbolos comemorativos da Páscoa foram se modificando ao longo dos séculos conforme os festejos de cada povo e suas culturas. Os ovos e o coelho, por exemplo, são símbolos de fertilidade e o início de uma nova vida celebrada por povos pagãos nas festas pela a chegada da primavera. Esses costumes foram assimilados à comemoração pascoal devido à conversão desses povos ao cristianismo.
As idéias que tentam passar esses símbolos não estão em total desacordo com a idéia da festa, mas afasta qualquer indício da realidade dos fatos que movem esta congratulação tão importante para o cristão que é a Páscoa.

Hoje as comemorações pascoais perderam seu real significado para a maioria de nós. Interessa-nos gastarmos pequenas fortunas com ovos de chocolate e aproveitamos o feriado para nossa diversão quando, na verdade, ovos deveriam dar preferência ao pão e ao vinho, e coelhos deveriam ser substituídos pela imagem de um cordeiro.

Comecemos a refletir sobre a Páscoa e o verdadeiro significado que ela pode trazer para as nossas vidas.

2 comentários:

vander disse...

ate que enfim achei alguem que pensa igual a mim que ainda valoriza a Páscoa como ela deve ser uma festa cristã, e não a festa do coelhinho da Páscoa e do ovo de chocolate

denise disse...

Celia, não houve coincidencia nenhuma em nossos posts. Eu estava participando da blogagem coletiva sobre a Páscoa e pesquisei sobre o assunto (há o link lá) e também usei minhas convicções a respeito do assunto, pois minha fé em Cristo ilumina a mente.
Muito bom conhecê-la!
beijo, menina