quarta-feira, 2 de maio de 2007

A culpa não é de Deus!

É comum ouvirmos as pessoas culpando a Deus pelas desgraças e fatalidades do mundo. A questão é que tais pessoas têm dois motivos para agirem assim. Primeiro, a concepção que se tem de Deus é de que Ele é um ser mágico, com uma varinha de condão nas mãos, a postos para realizar os desejos da humanidade sem pedir nada em troca, uma versão masculina das fadas. Segundo, é que tais pessoas vêem a Deus por uma perspectiva humana, no que diz respeito às decisões dele ou a sua forma de ver os acontecimentos, ou seja, são ignorantes a cerca da natureza de Deus.
Vamos esclarecer esses equívocos. Deus criou o homem para glorificá-lo e gozar as bênçãos proporcionadas por Ele. No entanto, o próprio homem acha-se auto-suficiente abandonando e descrendo em Deus. O mundo separado de Deus tornou-se um lugar terrível de se viver. O mal foi disseminado e colocou a todos nós, pessoas "boas" e "ruins", a mercê de suas atrocidades.
É muito fácil questionar que Deus não se importa com o que acontece a nós, mas não consideramos que a maioria de nós é que não nos importamos com Ele. Isso não significa que Ele nos deixa abandonados à própria sorte, mas que, às vezes, utiliza até de recursos que nos causam dor e sofrimento para que nos aproximemos dele, pois Ele nos quer junto de si.
Não podemos ser inocentes a ponto de imaginarmos que Deus nos vê a partir de nossa própria perspectiva humana. Deus é Deus e está completamente além da sabedoria de reles mortais e de suas convicções reslistas. É por isso que a bíblia diz que “todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus...” e inclua nesse pacote até as coisas tidas por nós como ruins.
Essas palavras podem parecer loucura, mas quem conhece a Deus através de Sua Palavra, sabe que essa é a mais pura verdade.

Nenhum comentário: