sexta-feira, 29 de junho de 2007

Até aonde vai o “GERUNDISMO”?

Quem de nós, ao ligarmos para algum callcenter, nunca se deparou com frases do tipo “Vou ESTAR TRANSFERINDO sua ligação”? Essa má utilização do gerúndio se tornou um vício quase impossível de ser corrigido, o que os literários estudiosos denominam de “GERUNDISMO”. Isso é, na verdade, uma tentativa de enfeitar a fala utilizando regras da língua inglesa (ing). O gerúndio é uma forma de colocação do verbo que indica a ação sendo executada no momento da fala, por exemplo: “ESTOU TRANSFERINDO sua ligação”. Sendo assim, não é apropriado usar essa colocação para definir algo que ainda vai acontecer, está gramaticalmente incorreto. É mais apropriado dizer “VOU TRANSFERIR sua ligação” ou “TRANSFERIREI sua ligação”, se a ação de transferir a ligação será executada no futuro.

O triste é que, em toda esquina que você passa tem alguém viciado em gerundismo. É um tal de “vou estar fazendo, vou estar pedindo, vamos estar estudando” Arghhh!!! Ouço tanto que fico até com medo de pegar o vício também.
Pessoal, “vou fazer, vou pedir, vamos estudar”. É muito mais simples e correto!

quinta-feira, 28 de junho de 2007

Férias!

Enfim, férias! Terminaram as aulas semana passada e esta semana só fui á faculdade na segunda para ser liberada de duas provas as quais os professores resolveram não aplicar, afinal já tínhamos sido bem avaliados com trabalho interdisciplinar. Então, tenho um mês de folga dos estudos. Agora, ir pra casa após o serviço está sendo maravilhoso! Passei pela biblioteca e peguei alguns livros da literatura brasileira para ler durante essas férias, entre eles, Menino de Engenho, de José Lins do Rego, e Dom Casmurro, de Machado de Assis. Também tem o nono volume da coleção Deixados para Trás, de Jerry B. Jenkins e Tim Lahaye que quero ler antes de voltar às aulas e ainda terminar de assistir toda primeira temporada da série Louis & Clark que peguei com meu sobrinho (eu adorava quando passava na TV!). Apesar de estar de férias, ficar sem fazer nada dá uma sensação de inutilidade! Então vamos por a leitura em dia. Além disso, eu e Nil vamos poder participar mais das programações semanais da nossa igreja, já que em período de aulas ficamos sempre ausentes.

quinta-feira, 21 de junho de 2007

O Inverno chegou... será?


Hoje, oficialmente, chegou o inverno. Mas nem parece. Apesar de o sol ter-se escondido um pouquinho entre nuvens teimosas como vocês podem ver nessa foto tirada da janela do prédio onde trabalho, a temperatura se mantém estável como nos dias anteriores, variando entre 27º e 30º. Acho que vai demorar a esfriar por aqui. Se esfriar.

Trabalho Acadêmico

Ontem eu e meu grupo apresentamos o trabalho do salmão, do qual falei no penúltimo post. Nunca tínhamos desenvolvido nada assim. Além de toda pesquisa para o trabalho escrito, encenamos uma mesa de negociações internacionais e montamos um stand (o evento teve o formato de uma feira). Não podemos dizer que foi de todo ruim, mas o resultado não foi o esperado, especialmente com relação ao stand. Acho que, devido à falta de experiência de todos nós em executar essa tarefa, faltou um pouco mais de planejamento, detalhamento e, principalmente, experimento do que pretendíamos fazer. Muita coisa não deu certo como havíamos visualizado, muitos contratempos ocorreram e, o mais difícil, trabalhar em grupo sempre causa alguma dor de cabeça. Resultado: a parte visual do trabalho ficou comprometida. Por outro lado, a negociação foi razoável, levamos o prêmio de segundo lugar. Apesar de termos ensaiado bastante, creio que a frustração pelo resultado do stand nos afetou psicologicamente comprometendo a apresentação do grupo. Balanço geral: bom (detesto me sentir medíocre!).

A cima está uma foto do grupo no stand e no Álbum de Fotografias tem outras bem legais, dêem uma passadinha por lá.

terça-feira, 19 de junho de 2007

Uma canção é pra isso

Uma canção é pra acender o Sol
No coração das pessoas,
Pra fazer brilhar como um farol
O som depois que ressoa...

Pra clarear a escuridão
E o mundo encerra.
Pra balançar,
Pra reunir o céu e a terra...

quinta-feira, 14 de junho de 2007

Salmão

Foto retirada da internet, Salmão do Oceano Atlântico ou Salmo Solar.

Foto retirada da internet, fazenda de salmão no Chile.

Foto retirada da internet, sashimi de salmão.


Estou fazendo um trabalho na faculdade, juntamente com alguns colegas, sobre importação de salmão. Apresentaremos na quarta-feira próxima simulando uma negociação internacional durante uma feira com stand e tudo. Muito legal. Durante o trabalho fizemos várias pesquisas e descobrimos coisas muito interessantes sobre esse peixe. Vou lhes contar.

O salmão (primeira foto) é um peixe de água gelada, originalmente do Atlântico e do Pacífico. O Brasil não tem clima favorável para a sua reprodução, por isso todo salmão consumido aqui é importado. Os brasileiros até que tentaram, mas algumas tentativas de criação do peixe fracassaram.
A procriação do salmão é muito interessante. Os ovos são depositados em rios e lagos de água doce e ali nascem os peixinhos. Quando crescem um pouco eles migram para o mar permanecendo lá por cerca de dois anos. Nessa época estão aptos a procriar, então voltam ao mesmo lugar onde nasceram para depositar seus ovos, nadando contra a correnteza. Muitos deles morrem depois desse percurso devido ao cansaço da sua difícil jornada. Os sobreviventes repetem a façanha na temporada seguinte.

A carne do salmão é macia, saborosa e muito nutritiva. É rica em ômega 3, substância muito recomendada pelos médicos e que ajuda a prevenir doenças cardiovasculares. Os benefícios relacionados ao consumo de peixe foram descobertos por volta dos anos 70, quando médicos observaram, por meio de seus estudos, que os esquimós da Groenlândia possuíam um ótimo coração. Isso ocorria devido à sua dieta rica em peixes.

Ao contrário do que se pode imaginar, o salmão que chega à nossa mesa não cresce livremente no mar conforme determina a natureza. Devido ao crescimento significativo do comércio desse produto, há muito o salmão é produzido em viveiros, grandes fazendas de criação (segunda foto). Ali os produtores tentam imitar o ciclo natural de vida do salmão: depositam as ovas em rios de água doce e, depois de um tempo do nascimento, transportam os peixes para o mar, em criadouros devidamente cercado. É utilizada tecnologia de ponta para que se obtenha um excelente produto em tempo recorde para atender à crescente demanda.
Durante algum tempo houve uma grande polêmica quanto à qualidade do peixe criado em viveiro. Autoridades da área de saúde afirmavam que esse produto apresentava grande concentração de dioxina, substância proibida e cancerígena. Além disso, o consumo do peixe cru (sushi e sashimi) apresentava risco à saúde devido à sua contaminação pelo parasita anisakidae, popularmente chamado de piolho. Devido a isso foi proibida a importação do produto fresco no Brasil, sendo aceita somente a de peixe congelado, condição que parasita não suporta. Hoje todas as dúvidas quanto à qualidade do produto foram afastadas e o Brasil importa normalmente grandes quantidades de peixe, tanto fresco como congelado. Nosso exportador é o Chile, segundo maior do mundo, atrás somente da Noruega.

O consumo do salmão no Brasil se deve principalmente ao crescimento da população oriental em nosso país. Em São Paulo, onde se concentra a maior colônia de orientais composta por japoneses, chineses e coreanos, o consumo é muito alto e isso se deve ao fato de serem eles os grandes apreciadores do peixe cru. Seus costumes influenciaram a população nacional e hoje é comum para qualquer pessoa a apreciação de sushis e sashimis (terceira foto), não só de salmão como de outros peixes, atum, por exemplo. Além disso, pratos assados, grelhados e cozidos têm diversificado o formato dessa iguaria tão saborosa.

Este é um (pequeno!) resumo de tudo que estudamos sobre o salmão nos últimos cinco meses. Muito mais eu teria para descrever, mas o post já está longo demais. Espero que tenham apreciado o relato. Ah! Como não poderia deixar de ser, experimentei fazer uma receitinha de salmão no fim de semana passado. Ficou ótimo! Confiram no Livro de Receitas.
.
Update, 10/2010: Prezados leitores, depois de anos que postei sobre esse trabalho, continuo recebendo comentários com solicitações de detalhes e esclarecimento sobre o assunto. Agradeço imensamente o interesse, mas não posso ajudá-los, uma vez que esse foi apenas um trabalho de faculdade e desde então não mais tive acesso a assuntos relacionados à importação de salmão. Além disso, não disponho mais do material de pesquisa que utilizamos, nem do trabalho em si, pois o mesmo ficou com colegas com os quais não tenho mais contato. Mais uma vez agradeço o interesse e os elogios e, ao mesmo tempo, me deculpo por não poder ajudá-los com mais do que esta postagem.

terça-feira, 12 de junho de 2007

Dia dos Namorados

Dia de celebrar o amor!
Hoje almocei com meu eterno namorado. Não temos muito tempo pra comemorar esta data por ser um dia normal de trabalho, faculdade e ainda passarmos o dia bem longe um do outro. Mesmo assim demos um jeito de nos encontrar na hora do almoço. É maravilhoso ter ao nosso lado alguém a quem amamos, com quem compartilhamos TUDO, alguém que se preocupa com a gente, que retribui nosso amor de forma tão completa, enfim, um namorado mesmo estando casada com ele há quase cinco anos. Minha vida mudou muito, para muito melhor depois o Nil passou a fazer parte dela. Ele é realmente um presente de Deus, muito mais especial do que eu tenha pedido ou esperado.
Meu amor, digo isto todos os dias pra você, mas sei que você quer que eu repita: te amo muito!

segunda-feira, 4 de junho de 2007

Frango ao Creme de Cebola - Delícia!

Tem uma receitinha super fácil que preparo de vez em quando e o Nil adora (ele já sabe fazer também). Eu a aprendi num programa de TV e adaptei-a ao nosso gosto, é o Frango ao Creme de Cebola. Uma delícia e facílimo de preparar, muito prático mesmo. Coloquei o passo-a-passo no Livro de Receitas. Experimentem, é muito bom!