quinta-feira, 14 de junho de 2007

Salmão

Foto retirada da internet, Salmão do Oceano Atlântico ou Salmo Solar.

Foto retirada da internet, fazenda de salmão no Chile.

Foto retirada da internet, sashimi de salmão.


Estou fazendo um trabalho na faculdade, juntamente com alguns colegas, sobre importação de salmão. Apresentaremos na quarta-feira próxima simulando uma negociação internacional durante uma feira com stand e tudo. Muito legal. Durante o trabalho fizemos várias pesquisas e descobrimos coisas muito interessantes sobre esse peixe. Vou lhes contar.

O salmão (primeira foto) é um peixe de água gelada, originalmente do Atlântico e do Pacífico. O Brasil não tem clima favorável para a sua reprodução, por isso todo salmão consumido aqui é importado. Os brasileiros até que tentaram, mas algumas tentativas de criação do peixe fracassaram.
A procriação do salmão é muito interessante. Os ovos são depositados em rios e lagos de água doce e ali nascem os peixinhos. Quando crescem um pouco eles migram para o mar permanecendo lá por cerca de dois anos. Nessa época estão aptos a procriar, então voltam ao mesmo lugar onde nasceram para depositar seus ovos, nadando contra a correnteza. Muitos deles morrem depois desse percurso devido ao cansaço da sua difícil jornada. Os sobreviventes repetem a façanha na temporada seguinte.

A carne do salmão é macia, saborosa e muito nutritiva. É rica em ômega 3, substância muito recomendada pelos médicos e que ajuda a prevenir doenças cardiovasculares. Os benefícios relacionados ao consumo de peixe foram descobertos por volta dos anos 70, quando médicos observaram, por meio de seus estudos, que os esquimós da Groenlândia possuíam um ótimo coração. Isso ocorria devido à sua dieta rica em peixes.

Ao contrário do que se pode imaginar, o salmão que chega à nossa mesa não cresce livremente no mar conforme determina a natureza. Devido ao crescimento significativo do comércio desse produto, há muito o salmão é produzido em viveiros, grandes fazendas de criação (segunda foto). Ali os produtores tentam imitar o ciclo natural de vida do salmão: depositam as ovas em rios de água doce e, depois de um tempo do nascimento, transportam os peixes para o mar, em criadouros devidamente cercado. É utilizada tecnologia de ponta para que se obtenha um excelente produto em tempo recorde para atender à crescente demanda.
Durante algum tempo houve uma grande polêmica quanto à qualidade do peixe criado em viveiro. Autoridades da área de saúde afirmavam que esse produto apresentava grande concentração de dioxina, substância proibida e cancerígena. Além disso, o consumo do peixe cru (sushi e sashimi) apresentava risco à saúde devido à sua contaminação pelo parasita anisakidae, popularmente chamado de piolho. Devido a isso foi proibida a importação do produto fresco no Brasil, sendo aceita somente a de peixe congelado, condição que parasita não suporta. Hoje todas as dúvidas quanto à qualidade do produto foram afastadas e o Brasil importa normalmente grandes quantidades de peixe, tanto fresco como congelado. Nosso exportador é o Chile, segundo maior do mundo, atrás somente da Noruega.

O consumo do salmão no Brasil se deve principalmente ao crescimento da população oriental em nosso país. Em São Paulo, onde se concentra a maior colônia de orientais composta por japoneses, chineses e coreanos, o consumo é muito alto e isso se deve ao fato de serem eles os grandes apreciadores do peixe cru. Seus costumes influenciaram a população nacional e hoje é comum para qualquer pessoa a apreciação de sushis e sashimis (terceira foto), não só de salmão como de outros peixes, atum, por exemplo. Além disso, pratos assados, grelhados e cozidos têm diversificado o formato dessa iguaria tão saborosa.

Este é um (pequeno!) resumo de tudo que estudamos sobre o salmão nos últimos cinco meses. Muito mais eu teria para descrever, mas o post já está longo demais. Espero que tenham apreciado o relato. Ah! Como não poderia deixar de ser, experimentei fazer uma receitinha de salmão no fim de semana passado. Ficou ótimo! Confiram no Livro de Receitas.
.
Update, 10/2010: Prezados leitores, depois de anos que postei sobre esse trabalho, continuo recebendo comentários com solicitações de detalhes e esclarecimento sobre o assunto. Agradeço imensamente o interesse, mas não posso ajudá-los, uma vez que esse foi apenas um trabalho de faculdade e desde então não mais tive acesso a assuntos relacionados à importação de salmão. Além disso, não disponho mais do material de pesquisa que utilizamos, nem do trabalho em si, pois o mesmo ficou com colegas com os quais não tenho mais contato. Mais uma vez agradeço o interesse e os elogios e, ao mesmo tempo, me deculpo por não poder ajudá-los com mais do que esta postagem.

27 comentários:

Angela disse...

Muito legal! Adorei saber essas curiosidades sobre o salmão, um peixe tão saboroso e também as fotos.
Parabéns pelo seu blog!

Tommaso disse...

Muito interessante seu blog, principalmente com seui trabalho sobre o salmão. Na mesma situação sua, também preciso fazer um trabalho sobre a logística do salmão, do Chile para o Brasil. Caso vc tenha algo a este assunto, poderia compartilhar comigo?
Abraços,
Tommaso (tiacovelli@hotmail.com)

Celia Rodrigues disse...

Claro Tommaso! Verei o material que tenho e enviarei para o seu e-mail. Que bom que tenha gostado do blog. Um abraço!

Anônimo disse...

Olá!! :) Parabéns pelo trabalho!
Eu também estou fazendo um
trabalho e preciso muito das
estatísticas de exportação do
Salmão do Chile para o Brasil!
Se vc as tiver estaria disposta
a me enviar via e-mail??
Muito obrigada desde já!

Juliane Soares - julianesoares@gmail.com

Anônimo disse...

Tenho acompanhado a exportação de Farinha de Pena de aves para o Chile. Como são varias cargas por semana tive a curiosidade de saber a finalidade da farinha. Fiquei sabendo que era para salmões. Navegando para buscar mais informações passei pelo blog. Muito interressante. Valeu,...
Mauro Cadore,
São Luiz Gonzaga,RS
maurocadore@brturbo.com.br

Fabricio disse...

Ola Celia, estou fazendo um trabalho pra facul de gastronomia de brasilia a Euro Americana, e gostaria de saber si caso vc tenha
algum contato de importadores de salmao no brasil ou fornecedores diretos, pois quero analisar a qualidade do produto e a higiene assim exigida, estou disposto de ir ao local para averiguar... meu nome é Fabricio e meu e-mail paintfabricio@bol.com.br... Grande Abraco fico aguardando

Fabricio disse...

Ola Celia, estou fazendo um trabalho pra facul de gastronomia de brasilia a Euro Americana, e gostaria de saber si caso vc tenha
algum contato de importadores de salmao no brasil ou fornecedores diretos, pois quero analisar a qualidade do produto e a higiene assim exigida, estou disposto de ir ao local para averiguar... meu nome é Fabricio e meu e-mail paintfabricio@bol.com.br... Grande Abraco fico aguardando

Anônimo disse...

eu tambem estou a fazer um trabalho sobre o salmão e este blog ajudou m muito obrigado

Anônimo disse...

acho que temos que procurar meios de produzir alimentos mais saudáveis sem que tenhamos que agredir o meio ambiente, pois é a casa em que vivemos e o que nossos filhos e netos tambem viverão, apoio a criação de salmão em cativeiro pois evita a pesca descontrolada, e tenho uma pergunta: eu ouvi um pesquisador e professor renomado de uma universidade aqui no Brasil esplicar que o salmão só possue ômega 3 porque faz parte de sua dieta alimentar uma certa alga rica em ômega3 que só é encontrada em mares gelados e profundos, e que o salmão produzido em fazendas não se alimenta desta alga ele não contem o ômega3, isto procede?

Celia Rodrigues disse...

Sobre o comentário anterior, não sei te dizer se procede ou não. Este trabalho se restringiu a estudos sobre a comercialização do peixe, mas sabemos que o salmão criado em cativeiro se alimenta de uma ração baseada na dieta natural dele, então acredito que ele não fique tão decadente desse nutriente.

Michelle disse...

Olá gostaria saber mais sobre o salmao! vc tem esse seu trabalho divulgado na net?
Mande a resposta para o meu email.
mimilouisegata@hotmail.com
abraços michelle

ana paula disse...

Olá Célia! Tb estou trabalhando com esta espécie e agora descobri q terei um sério problema pra adquirir estas espécies pra análise de metais. Estou avaliando o teor de metais em vários peixes de maior consumo em São Paulo e dentre estes, o salmão foi selecionado p/ estudo.
Porém, preciso evitar a contaminação por metais nas amostras e o salmão é importado sem as vísceras. Logo, como irei adquirir esta espécie sem cortes?
vc teria alguma informação ou serviço pra indicar que pudesse me ajudar?
grata,
Ana Paula Lima

Murilo disse...

Olá Celia Rodrigues!

Estou realizando um trabalho na universidade sobre o salmão que é importado do Chile. Por gentileza, você poderia me enviar por e-mail alguns dados estatísticos e informações sobre o assunto?
E-mail: maz-rp@hotmail.com
Grato pela atenção!
Murilo.

Anônimo disse...

É uma pena que temos um governo desse. Teve um brasileiro que tentou criar salmões, mas acabou desistindo pelas dificuldades técnicas e acabou vendendo a criação pra outra pessoa. Esta, após vários anos tentando, conseguiu fazer o ciclo completo, da reprodução à engorda. E o que o governo fez? Após uma mudança na lei, criou uma medida que tornou comercialmente inviável a criação do salmão.

Anônimo disse...

Celia, parabens pelo blog! sou proprietário de um restaurante da culinária japonesa em BH e há muito tenho tentado estudar o salmão e o atum. Aliás este último, um peixe migratório, de ocorrência mundial, de difícil pesca e que os países brigam pela cota de sua pesca definida através de tratados, me fascina demais! Se você tiver oportunidade dê uma estudada depois. Fiquei muito interessado no seu trabalho de faculdade. Seria possível você me envia-lo? Nosso site está em reconstrução, mas em breve você conhecer melhor nosso restaurante: www.artesanatodoapa.com.br meu email: bruno@artesanatodojapa.com.br. Abraços.

Mauro disse...

Olá Célia,

muito pertinente e interessante o seu trabalho.

Fiquei a pensar sobre o significado do Salmão nadar contra a corrente, nós também humanos, pra sobreviver temos que nadar contra a corrente em busca do manancial.

Abraço,

Mauro

Anônimo disse...

Ola,
E sobre salmao wild catch do Alaska, nao entra no Brasil?
Poderia me enviar um e-mail para o solia69@hotmail.com ?
Obrigada!
Cecilia

luiz felipe disse...

Ola, Gostei muito do seu blog, do assunto do salmao, pois trabalho com restaurante oriental e alem da pratica, consegui enriquecer mais ainda a minha teoria, alem de tudo tbm somos conterraneos de Recife, gostaria que se voce tivesse mais informacoes e se possivel me enviasse por email, ficaria muito grato, segue meu email: phlmoura@hotmail.com obrigado!!!

Elias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elias disse...

Prisma boa tarde,
Gostaria muito que você mandace esse material para mim ler, tenho um trabalho da faculdade sobre o tema importação de salmão no Brasil através do chile e pelo que li seu seminario está otimo
meu e-mail é lc.s_@hotmail.com peço essa força.
Att,
Elias Rocha

Anônimo disse...

Celia, em primeiro lugar parabéns pelo excelente blog, embora eu não seja adepto, sei reconhecer quando vejo a qualidade em um. Em segundo lugar, vc já escreve muito bem, fiz um curso de redação recentemente onde aprendi que a clareza e a simplicidade são as chaves de um bom texto, e estes elementos se fazem presente no seu blog. Em terceiro, os filmes que você recomenda são muito especiais e de grande emoção, destaco tomates verdes fritos como o verdadeiro sentido da amizade. Por último e não menos importante, o trabalho que você fez sobre o salmão é muito interessante, tenho uma pequena empresa de pescado fresco e devido a dificuldade de se encontrar um fornecedor com bom preço e pontualidade aqui no Rio de Janeiro, estou pensando em importar este pescado do chile. Ainda é só uma ideia que estou amadurecendo, mas acho que dará certo. Por isso quero lhe pedir se podes compartilhar o acesso a este trabalho, ou a qualquer informação sobre este processo que vc tenha obtido. Qualquer dado já será de grande ajuda.
Grande abraço, parabéns e obrigado!!!
Fabio.(fabio-gama@uol.com.br)

Anônimo disse...

Olá! Parabéns pelo trabalho! Ele foi publicado integralmente na net? Tenho curiosidade em ler, sou nutricionista e recomendo uma alimentação a base de peixes para meus pacientes. Principalmente o salmão! Mande para meu e-mail se possível seu trabalho. Abraços,

pmagnino@yahoo.com

Anônimo disse...

Parabéns pelo trabalho! adore! Muito interressante Eu so chilena e gostaria saber mais sobre o salmão que vein do Chile para o Brasi. Si voce pode compartilar comigo ficaria muito agradecida.

Um abraço!
carol
carolina@volkano.cl

Anônimo disse...

quand eu vivia no japão no mês de outubro e novenbro eu ia pegar slmão com a mão era muito desprediço do peixe os japoneses cercavam o rio e esse peixe não conseguia subir ao rio p desovar pena

beth disse...

muito legal!!!....gostei muito e ajudou na minha pesquisa escolar...até mais

Parabéns...bjs

Feenstra Export disse...

Quem estiver interessado em importação de salmão selvagem diretamente do alska, tanto em filetes congelados como enlatados por favor contatar-me.
Regis Costa
feenstraexport@aol.com
Trabalho para uma empresa de pesca de salmao americana no Alaska e temos interesse de exportar salmaoes para o Brasil.

Obrigado

Marcos Piacitelli disse...

Prezada,

Estou elaborando um estudo sobre o assunto, poderia me enviar o material para avaliação?

Obrigado.

piacitelli@gmail.com