sexta-feira, 28 de setembro de 2007

5 anos



Lembro como se tivesse acontecido ontem. A correria dos últimos preparativos, o nervosismo que tomou conta de mim durante todo o dia, os imprevistos, o frio na barriga, os lírios, as rosas, meu vestido branco com bordado prata... No dia 28/09/2002 eu me casava! Que dia sonhado! Que dia esperado!

Durante onze anos levei a Deus meus anseios sobre esse dia e, quando ele finalmente chegou, eu o recebi como um presente dos céus. Para mim, o casamento sempre representou um dos passos mais importante que uma pessoa pode dar, e que deve ter como base a vontade de Deus e a Sua bênção para que possa dar certo.

Quando conheci o Nil, cerca de dois anos antes de nos casarmos, pensei que não fosse ele ainda, o eleito do meu coração. Éramos muito diferentes no que diz respeito à personalidade e ele nada tinha a ver com o padrão de homens que me atraía. Mas era ele. Aos poucos fui percebendo que aquele homem simples e direto, tranqüilo e sincero (muito sincero!), me completava de uma forma que jamais alguém conseguiu, então fui deixando o amor florescer e as diferenças passaram a ser meros detalhes. “... porque o Senhor não vê como vê o homem. Pois, o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor vê o coração”. I Samuel 16:7. Esse versículo tinha me guiado durante anos na busca por um companheiro e, no momento certo, me fez ver, com os olhos de Deus, que esse companheiro estava diante de mim. Com um ano de namoro ficamos noivos e em nove meses nos casamos.

Só posso dizer que é maravilhoso ser casada. Maravilhoso! É claro que há dificuldades, palavras atravessadas, diferenças a serem compreendidas, e ceder passa a ser a palavra-chave para uma boa convivência, o que não é nem um pouco fácil. Mas quando estamos ao lado de alguém especial, tudo fica menos difícil. Não existe a guerra dos sexos, a típica competição entre homem e mulher, mas sim, o querer fazer um ao outro feliz, o desejo de estar sempre junto, de compartilhar tudo o que acontece de bom e de ruim, de planejar, de realizar.

Que Deus nos proporcione a graça de comemorarmos esta data muitas e muitas vezes, até a velhice, e que vivamos cada dia mais intensamente este nosso amor que é reflexo do grande e infinito amor que Ele tem por nós.

2 comentários:

vivendo disse...

Celinha,
parabéns por sua união!!Casar é bom mesmo!!Sou muito mais feliz junto ao meu marido!Vivi Amorim

Celia Rodrigues disse...

Obrigada Vivi! Não temos sorte, fomos abençoadas! Um beijo!