sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Meus olhos


Algumas coisas realmente são impossíveis de remediar, simplesmente não há como mudar de jeito nenhum. E por mais que nos incomodem, temos que nos acostumar com elas. Para o resto da vida.

Meus olhos são extremamente problemáticos. Desde criança, uns oito anos, uso óculos. Comecei com 2,5 graus e estacionei em 4,25 há uns 3 anos. No entanto, sempre odiei os tais óculos, não importa o quão modernos e elegantes sejam, eu os detesto. Na adolescência eu teimava em não usá-los, ainda que fosse preciso fazer um tremendo esforço para conseguir enxergar alguma coisa. Ficava apertando os olhos até quase fechá-los a fim de alcançar nitidez. Na época da escola, por várias vezes peguei ônibus errado por confundir a bandeira, hahaha, e mesmo assim não colocava os benditos na cara. Mas chegou um momento que não houve jeito, não conseguia mais ler sem eles, mesmo me esforçando. Então comecei a trabalhar e tive que assumi-los. Por um tempo me conformei, mas como isso mexia fundo com a minha vaidade, comecei a pensar em resolver o problema dos óculos de forma definitiva.

Tenho hipermetropia, astigmatismo, pterígio e uma alergia crônica nas vistas. Só isso.

A hipermetropia consiste num erro de focalização da imagem do olho para visualizar curtas distâncias. O hipermétrope não consegue ter nitidez porque a imagem é formada após a retina e não sobre ela, como num olho normal. Isso ocorre em pessoas que têm o globo ocular reduzido.

O astigmatismo também proporciona problemas com o foco, só que para ver de longe. Isso se deve à córnea que tem uma curvatura muito acentuada, meio oval, diferente da curvatura normal que seria como uma bola de ping pong.

O pterígio me causa muitos problemas. Trata-se de um tecido que cresce próximo ou sobre a córnea, na parte interna do olho. Ele pode ficar pequeno como os meus (tenho nas duas vistas) ou pode crescer e interferir na visão. As causas não são conhecidas, cogita-se que pessoas que passam muito tempo expostas à luz solar ou em ambientes secos e empoeirados podem desenvolver o problema, mas isso não está comprovado.

Com a alergia eu convivo desde a infância e a tenho dos mais diversos tipos. De forma crônica ela me atinge nos olhos, ouvidos e nariz, causando muita coceira, ardência e um tremendo desconforto em todas essas regiões.

Depois de descrever os problemas que assolam meus pobres olhos, voltemos à minha intenção de solucionar o insolúvel. Entrei no consultório do Dr. Konstantin e disse que queria ser operada. Nunca fui corajosa com essas coisas de hospital, injeções, cirurgias. Mas tamanha era a vontade de me ver livre dos óculos que eu até sujeitaria a encarar os meus medos.

Depois de me examinar minuciosamente, o médico me disse que eu não poderia fazer a cirurgia corretiva da hipermetropia por causa da curvatura da córnea causada pelo astigmatismo. A cirurgia deixaria a córnea ainda mais curvada e eu teria triplos problemas de desfoco, em vez de duplos como já tenho. O pterígio também não poderia ser removido, pois em 95% dos casos ele volta e em um estágio mais avançado, especialmente em pessoas jovens como eu. Talvez eu até pudesse corrigir o astigmatismo com cirurgia a laser, mas dos males ele é o menor, não me pouparia dos óculos. A opção paliativa que ele me deu, foi trocá-los por lentes de contato. Não me curariam como eu desejava, mas pelo menos me deixariam mais apresentável.

Inconformada com meu fardo, mas alegre por finalmente me livrar dos óculos, fiz o teste e encomendei as lentes. Foi estranho no início, mas o médico me falou que com tempo eu acostumaria com elas. A verdade é que nunca me acostumei. O fato de ter pterígios e alergia torna o uso das lentes muito desconfortável e por vezes tenho que tirá-las e, vejam só, colocar os óculos, que incomodam muito menos.

Com isso aprendi que nunca vou me livrar deles. Estou até pensando em encomendar um modelinho moderno e elegante, hehe.

10 comentários:

Bel disse...

Eu nunca precisei usar óculos... até que cheguei aos 40... e me foi recomendado um "para leitura". Acredita que fiz, mas ainda estou enrolando e consigo passar bem sem ele?
Mas meus dois filhotes são míopes... e sofrem, coitados, com essa agonia de óculos. A menina começou a usar lentes quando fez 15 anos, e apesar de incomodar, a vaidade fala mais alto, e ela insistiu até que, ano passado, perdeu a lente no banho. Pfff... Agora resolveu voltar aos óculos... mas eu preferia com as lentes, e ela ainda colocou coloridas,,, ficava tão linda...

Celia Rodrigues disse...

Bel, que bom que você aos 40 não precisa de óculos. Eu me esforço para ficar com as lentes o quanto posso, mas as vezes fica impossível, não dá nem pra manter os olhos abertos, tão grande é o incômodo.

vivendo disse...

Celinha,
eu usei óculos dos 8 anos até janeiro desse ano, quando operei a vista.Foi muito importante para mim essa operação. Não suportava quando me descreviam como aquela magrinha de óculos...Se é inevitável, acho legal mudar as armações e o estilo...Na minha infância e juventude a grana era curtíssima e eu não podia ter nem as lentes de contato, a armação dos óculos era aquela pesadona!Um beijo querida, Vivi

Celia Rodrigues disse...

Ah, Vivi! Que bom que você conseguiu operar. Deve ser maravilhoso enxergar as coisas sem precisar de recursos para isso. Era tudo que eu queria, mas... Paciência, né.

Flávio Rod. disse...

Como você sabe, nunca precisei de usar óculos. Talvez meus olhos sejam os membros mais perfeitos do meu corpo. No entanto, em minha tenra adolescência, quando vivia um período de depressão constante, cheguei a desejar ficar cego!
Calvino era uma pessoa que sofria de dores de cabeça diárias. Mas ele nunca deixava seus estudos de lado. A despeito de seus sérios problemas de saúde, continuou sendo um instrumento para levar adiante a Reforma Protestante.
"Há males que vêm para o bem", embora não os entendamos!

Celia Rodrigues disse...

Flávio, muitas vezes nos sentimos tremendamente inferiores por sermos ou não sermos, termos ou não termos. Isso faz parte de nós, infelizmente. Mas é muito bom quando aprendemos a lidar com isso e não permitimos que continue a ser um fardo a atrapalhar nossa vida. Finalmente nos sentimos felizes. Isso vem com a maturidade.
Até mais!

Ana Lucia Matos disse...

Linda! Amo ler suas postagens,são interessantes e de fácil leitura, mas, nem sempre tenho tempo para comentá-las.hehe Mas, essa história dos olhos me chamou a atenção, vc é muito de bem com a vida fazendo graça com seu problema, é isso aí! Tb sou dessa linha, em todas as coisas "ver"(rs) o lado positivo, afinal, a vida é um dom de Deus e ele cuida de nós, a Sua graça nos basta! Essa semana renovei minha habilitação, fiz o tal exame de vista, confesso q fiquei apreensiva com as letrinhas q vão ficando miudinhas,rsrsrs, mas deu tudo certo, ainda to livre dos óculos ou objetos semelhantes,rsrs mas, claro fique traquila não tenho esse problema, mas, tantos outos não me faltam,hehehehe. Bjus lindinha

Celia Rodrigues disse...

Oi Ana! Que legal saber que você passeia por aqui de vez em quando. E que ótimo que resolveu comentar! O que você falou está mais que correto. Rir de um problema é uma forma de superá-lo e conseguir conviver com ele numa boa, afinal Deus nos dá tantas coisas maravilhosas, por que dar ênfase a pequenos problemas, não é? Um grande beijo e volte mais vezes, inclusive para comentar.

sara disse...

Oi! Sou uma jovem portuguesa de 15 anos e li a sua postagem que achei muito interessante ate porque, sofro de astigmatismo e nao aguento mais usar oculos. Acho-me feia com eles e sinto-me desconfortavel ao usa-los. Ha quatro meses deixei de usar oculos, apesar do problema que tenho. Claro que nao vejo as coisas nitidamente mas sempre consigo "enxergar" alguma coisa. hehehe! Queria muito usar lentes de contacto para nao ter mais este suplicio... Mas o problema e' se o meu medico aceita em eu poder usa-los. Ja procurei informacao e tudo indica que sim! Deus queira que tudo corra bem...! Beijos

Celia Rodrigues disse...

Oi Sara! Que prazer receber a tua visita! Acredito que o teu astigmatismo seja facilmente corrigido com as lentes de contato, pois tenho o mesmo problema e já passei por dois médicos que me receitaram as lentes sem problemas. Espero que tudo dê certo para você. Deus te abençoe e volte por aqui sempre que quiser! Um abraço!