quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Um pouco de história

Como eu havia mencionado no post anterior, hoje dou início à sessão Espírito Santo - minha terra. Quero começar contando um pouco da história local. Daí, poderemos entender muito do que ocorre hoje por aqui.

Apesar de estar localizado numa região desenvolvida como é a Sudeste e próximo a grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, o Espírito Santo não possui o mesmo grau de desenvolvimento. Isso tem a ver com a sua história desde o período colonial.

Mais de 30 anos após o descobrimento do Brasil, quando Portugal resolveu colonizar nossas terras, Vasco Fernandes Coutinho aportou no local onde hoje é a Prainha, em Vila Velha (minha cidade!) como donatário da capitania que ganhou do rei de Portugal, à qual denominou Espírito Santo pelo fato de ter chegado aqui numa data festiva religiosa. Ali foi formado o primeiro povoamento da província denominado Vila do Espírito Santo. Como os ataques indígenas de resistência eram freqüentes, o donatário transferiu a sede do seu governo para uma ilha onde estaria mais seguro e deu a ela o nome de Vila de Nossa Senhora da Vitória chamada também de Vila Nova, ficando a antiga sede conhecida como Vila Velha.

Ao fundo Vila Velha ligada à Vitória pela Terceira Ponte

Em 08 de setembro de 1551, os portugueses finalmente venceram os índios massacrando definitivamente os verdadeiros donos da terra e, para marcar o acontecimento, a ilha passou a se chamar Vila da Vitória, hoje a capital Vitória, e a data foi consagrada como sua fundação. O aniversário da capital e a homenagem à sua padroeira Nossa Senhora da Vitória, são comemorados nessa data até hoje.

No período da mineração, o Espírito Santo iniciou seu período de decadência. Foram descobertas jazidas de esmeralda e ouro no interior da província, isso acarretou um êxodo da população das demais regiões para essa. Como a concentração de interesses estava na região da mineração, a agricultura decaiu gerando escassez de alimentos e foram tomadas muitas atitudes descabidas para evitar a invasão dos corsários em busca das riquezas descobertas. Foi proibida a construção de estradas que dessem acesso ao interior, proibiu-se também a navegação no Rio Doce e houve militarização da região, transformando-a numa fortaleza. Esses e muitos outros fatores emperraram o crescimento da capitania que ficou esquecida mesmo após o declínio da mineração, até por volta de 1800, quando a família real chegou ao Brasil. Mas a região começou, de fato, a dar os primeiros e lentos passos para o desenvolvimento somente na segunda metade do século XIX, com a cultura do café.

Esses acontecimentos classificam o Espírito Santo como um estado um tanto atrasado em vários âmbitos em relação aos outros estados da região em que está localizado. No entanto, nas últimas décadas, começamos a experimentar um aquecimento na economia devido às atividades de comércio exterior que vêm sendo desenvolvidas na região. Grandes empresas se instalaram por aqui e isso abriu as portas para o turismo de negócios. O mercado de rochas ornamentais é um dos mais desenvolvidos do país e, há pouco tempo, descobriu-se grande jazida de petróleo na nossa região. Algumas feiras internacionais já fazem parte do nosso calendário, como a Vitória Stone Fair, que acontece anualmente em Vitória. Com isso o Governo Federal tem investido mais no estado, o que impulsiona o crescimento. Como diz o presidente Lula, o Espírito Santo está deixando de ser o “Patinho Feio” da região Sudeste.


Vitória

Se há uma característica da qual temos que nos orgulhar é das belezas naturais desta terra. Infelizmente não se investe quase nada no potencial turístico local, especialmente no turismo ecológico que é um nicho interessantíssimo a ser explorado. Possuímos clima agradável a todos os gostos, tanto nas praias (que são muitas e maravilhosas) como nas montanhas. As regiões Sul e Serrana são as mais bonitas e espero em breve poder apresentá-las com posts recheados de belas imagens.

Por hora, fico por aqui. Tenho muito a escrever, mas são assuntos para novos posts. Até mais.

Imagens pesquisadas no Google.

Um comentário:

Waldemar disse...

Parabéns pela apresentação fidedigna do nosso estado maravilhoso.