terça-feira, 1 de abril de 2008

Pai nosso que estás no céu...

Ultimamente tenho sido muito motivada a orar. Compelida mesmo. Parece que esse assunto tem me bombardeado por todos os lados.

Na minha igreja, como na maioria das outras, há um dia na semana em que o culto é dedicado à oração, mas neste ano, levantou-se um propósito de que as reuniões sejam diárias, de segunda a segunda. Claro que nem todos participam, mas há pessoas realmente engajadas que comparecem continuamente, mesmo que alternadamente.

No retiro em que estivemos na semana retrasada, organizamos uma maratona de oração durante 48 horas. Nesse período não teve um minuto sequer em que não houvesse alguém orando. Foi preparada uma cabana de folhas de coqueiro à beira dum rio, bem retirada da movimentação, onde podíamos ficar a sós com Deus durante uma hora inteira. Foi uma grande experiência!

Também tenho lido sobre oração em livros, revistas e até em blogs, especialmente nA Gruta do Lou. A propósito, sua visão e prática de oração têm características muito autênticas e peculiares, chega quase a ser um duelo de palavras com Deus, rsrs. Tudo isso tem sido muito motivador, mas uma coisa me intriga: mesmo sofrendo toda essa “conspiração”, não consigo exercitar como deveria.

Procuro orar todos os dias, mas, não obstante a grata experiência das horas de oração no retiro (eu orava sempre de 16 às17h), sinto-me muitas vezes cansada e desmotivada a orar. É extremamente constrangedor enumerar meus fracassos diante de Deus e ainda ter coisas a pedir, mesmo não tendo agido com como deveria. Isso me deixa desconsertada diante dEle e, muitas vezes tenho a impressão de que não obterei Suas respostas. No entanto, continuo me sentindo incomodada e a orar.

Pensando em tudo isso observei que, em minhas orações, sempre peço ao Senhor que reacenda em mim o desejo da comunicação com Ele. Lembro-me de quando era bem jovem e passava momentos preciosos em oração, muitas vezes de madrugada. Como era maravilhoso e como sou saudosa dessa época de minha vida! Esse incômodo constante por orar, do qual falei acima, é a resposta a esse pedido. Decidi que agora preciso começar a pedir forças para agir. Apesar de o desejo existir, muitas vezes a disposição não vem com ele, então preciso conseguir lutar contra a preguiça e o desânimo e me dispor a estar diante do Senhor. Ele fez a Sua parte, agora preciso fazer a minha.

Como somos dependentes de Deus! Até o nosso falar com Ele precisa ser movido pela Sua misericórdia por nós. Deus não “precisa” que nos importemos em falar com Ele, mas Ele se importa verdadeiramente conosco e quer manter um relacionamento estreito com seus filhos. A causa de sua insistência revela o Seu grande amor por mim, apesar dos meus fracassos. Acho que Ele tem muito a falar comigo.

11 comentários:

Casamento feliz disse...

Amiga , tb preciso orar mais , faz tao bem para nós ... Ontem fui ai show da Aline Barros e Leonardo Gonçalves , foi uma bençao

Beijos

Victor Fontana disse...

Por quastões de agenda, há tempos não comento aqui... Hoje tenho a alegria de ler algo profundamente impactante.

Espero muito mesmo que você continue incomodada pelo Espírito Santo a continuar nessa jornada.

Oro por isso. E espero também viver na constante alegria da oração constante.

Deus te abençoe.

Georgia disse...

Célia, que texto mais enriquecedor. Eu tb tenho saudades do tempo em que eu orava mais. Ando preguicosa nessa parte e o Senhor mesmo já falou comigo muitas vezes em sua Palavra que devemos "Orar sem cessar", como sou falha nessa parte. Fico com os meus pensamentos nEle durante o dia como se fosse um diálogo ineterrupto, mas mesmo assim, nao é mesmo separar tempo para orar ao Mestre.

Grande beijo em vc.

Aninha Pontes disse...

E a oração nos deixa mais leves e ao mesmo tempo mais fortes.
Fortalece a nossa fé, e alimenta nossa alma.
Beijos meu bem.

vivendo disse...

Orar, mais e mais.Vivo assim. Um dia um pouco menos no outro mais e a meta é sempre orar mais e mais!!beijo, Vivi

Jannine L'Amour disse...

Eu as vezes acho que não sei orar...e peço que Ele me ajude...e entenda. mas se eu ficar sem falar com Ele por um dia que seja, piro na batatinha :D. Um cheiro.

Taty disse...

Eu não costumo parar e orar. O q faço é conversar com Deus várias vezes por dia, assim como quem conversa com um amigo. Principalmente nos momentos em q estou sozinha, aí conversamos mesmo. E não tem companhia mais maravilhosa do q essa, né?
Um beijo!!

Dumuro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Grace Olsson disse...

Célia, a oração tem me ajudado e muito a superar desafios.
E ler mensagens que nos toquem profundamente é uma maravilhsa
Beijos eDIAS FELIZES

Luis F disse...

Amiga...

Tanta verdade dizes neste teu texto, que deviamos ler e reflectir acerca deste assunto mais vezes.

Muito mais que as palavras é necessário agir...

Parabéns

Um beijinhos
Luis

Celia Rodrigues disse...

O Show dela é muito legal mesmo, Fabi. Também gosto muito. Abraço!

Pois é, Victor. Senti falta dos teus comentários. Também espero continuar sendo incomodada, mas principalmente espero conseguir atender ao incômodo. Abraço!

Geórgia, uma vida em constante comunhão com Deus é necessária para o desenvolvimento de nossa intimidade com Ele. Precisamos cuidar melhor dessa área. Beijinho!

Aninha, é bom saber que temos um Pai Grandioso com quem contar em todos os momentos de nossa vida, não é? Abraço!

Vivi, seria interessante prosseguirmos no propósito do crescimento em intimidade com Deus, até chegar um momento em que não nos fosse possível viver de outra forma. Beijo, amiga!

Também me sinto assim por muitas vezes, Jan. Sem saber o que falar com Ele. Isso me deprime, pois com um pai sempre temos que saber o que dizer. Beijo!

Oi Grace! Fico feliz que minha mensagem tenha chegado á sua alma! Beijo querida!

Luis, é verdade. É necessário ler, refletir e, principalmente, agir. Um abraço!