segunda-feira, 5 de maio de 2008

Doenças ocupacionais

Nos últimos dez dias fiquei impossibilitada de escrever aqui no blog e também de fazer outras atividades devido ao agravamento da minha tendinite, como expliquei no último post. Na verdade, deveria ainda estar com o braço direito em repouso, mas isso torna-se impossível quando tenho tantas coisas para fazer e já me sinto um pouco melhor. Sendo assim, resolvi escrever sobre doenças ocupacionais, que pode ser a tendinite ou tantas outras “ite’s” que há por aí.

Vamos entender a tendinite. Pessoas que se ocupam de determinadas tarefas, sejam laborais ou de lazer, em que, continuamente, repetem os mesmos movimentos para desenvolvê-las, podem ser acometidas de inflamações nos tendões, ou seja, de tendinite. Da mesma forma pode ocorrer a bursite – inflamação da bursa, bolsa que contém um líquido lubrificante e amortecedor para os ossos nas articulações, para tecidos e tendões – e a artrite (não a reumatóide) – inflamação das próprias articulações. Há muitos exemplos de esportistas, operários, pianistas, dançarinos e até mesmo donas de casa que apresentam tais problemas devido à sua carga de exercícios e tarefas, sempre focados na repetição dos movimentos por horas a fio, diariamente. O principal sintoma é uma dor muito forte no local afetado, que chega impedir a pessoa de desenvolver suas tarefas. O inchaço também pode ocorrer em estágios mais avançados.

A tendinite, assim como as outras patologias, passou a ser considerada uma doença ocupacional a partir do momento em que a ocupação profissional do indivíduo começou a causar nele os sintomas relacionados a essas doenças. Na verdade, esse problema atinge as pessoas desde a época da Revolução Industrial. No entanto, somente muitos anos depois de Taylor e Fayol e seus conceitos administrativos obsoletos, já na segunda metade do século XX é que se começou a estudar a importância da saúde dos trabalhadores, relacionando-a à saúde da própria empresa, em termos de produtividade.

As doenças ocupacionais levam algumas siglas para serem melhor entendidas e classificadas. A conhecida LER – Lesão por Esforço Repetitivo – deixou de ser atribuída aos casos de maneira geral por ser muito ampla e não especificar a causa do problema como gerada pela atividade profissional. Qualquer pessoa pode ter LER: uma dona de casa, um esportista ou um trabalhador. Desta forma, as empresas poderiam encontrar alguma maneira de se isentar das suas responsabilidades. No caso de doença ocupacional, ou seja, gerada através da atividade profissional do indivíduo, a sigla adotada atualmente é DORT – Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho.

Os grandes causadores desse mal dentro das empresas são o stresse – sempre ele -, a linha de produção - onde os operários passam toda a sua jornada de trabalho ocupados com a mesma atividade física - e a área da informática – onde, igualmente, há esforço repetitivo durante toda a execução das tarefas. A digitação contínua e o uso constante do mouse causam grandes estragos nas articulações dos dedos, das mãos e dos braços. A partir da década de 90, com a invasão dos computadores por toda parte, essas doenças passaram a ser mais freqüentemente diagnosticadas. Foi assim que meu problema se desenvolveu.

Há 11 anos, comecei no meu primeiro emprego. Trabalhava na área de faturamento de uma pequena indústria de materiais higiênicos automotivos. Como em toda empresa despreparada para o crescimento e deslumbrada com ele, não havia qualquer preocupação com a saúde dos funcionários. Nesse caso, eu passava todo tempo diante do computador emitindo pilhas de notas fiscais para a entrega cada vez mais rápida das mercadorias vendidas. Lema da empresa: atendimento rápido e satisfação plena do cliente. Em cerca de 2 anos de atividades eu estava sendo submetida ao tratamento contra a tendinite, que, uma vez adquirida, não há cura. Já passei pelo tratamento pelo menos 3 vezes: gesso, injeções, antiinflamatórios, repouso, sessões de fisioterapia... Os resultados duram por um período de 3 anos, no máximo, depois recomeça-se a sentir os sintomas e tem-se que iniciar novo tratamento.

Mas nem todas as pessoas que trabalham em funções de risco estão condenadas ao mesmo fim que o meu. Há todo um trabalho de prevenção dessas doenças, como períodos de descanso e exercícios durante a jornada de trabalho. Uma empresa séria procura manter programas de saúde ocupacional dirigidos por profissionais capacitados da área de Medicina do Trabalho. Assim evitam-se situações desagradáveis para ambos os lados, como a reposição de funcionários doentes, processos trabalhistas e indenizações que poderiam ser evitadas.

É importante lembrar que a lesão que não é devidamente tratada pode ocasionar a invalidez da pessoa para suas atividades. Além de dores constantes, pode haver deformação do membro afetado e até a ruptura do tendão. Só não sei exatamente se esse lembrete é para vocês, caros leitores, ou para mim mesma.

21 comentários:

Jannine L'Amour disse...

Tem que se cuidar amiga...e ser cuidada pelo maridão, claro ;). Um cheiro e fica bem, nada de trelar.

Georgia disse...

Eu espero que vc se cuide.

Beijao

Alice disse...

Oi Celia !!! adorei sua visita e me encantei com seu blog !! estou add vc aos meus favoritos, e pretendo voltar !!
bjkas pra vc
Alice

Casamento feliz disse...

Estou tendo uma dorzinha bem chata nas mãos , estou achando que é essa bendita tendinite

Beijos

Adelino disse...

Célia, minhas desculpas pela ausência, mas você deve imaginar como se sente todo bom brasileiro no final de cada mês de abril...
A sua matéria de hoje foi excelente. Eu a li atentamente e por inteiro. Clara, elucidativa, didática simples. Felizmente nunca tive tendinite, mas já ouvi falar.
Recentemente encontrei uma amiga com o braço esquerdo engessado até as mãos, resultado de uma tendinite por digitação constante, repetitiva.
Vou repassar este seu post para ela agora.
Beijos, e feliz semana.

Nadja disse...

Muito interessante teu blog!...e melhoras! =)

Taty disse...

Tendinite é mesmo um absurdo de ruim. Eu tenho nas duas mãos, já cheguei a engessar algumas vezes. Mas se cuida direitinho e muitas melhoras pra vc.
Um beijo!!

Renata Braga disse...

Oi Célia!

bah guria! adorei tua visita! Sou meio nova ainda no mundo blogueiro! Estou aprendendo ainda... ehhe que bom que tu gostou, espero que volte mais vezes.
É o lance dos namoros era bem interessante! Mas era bom né... Li seu texto... muito legal! Espero que melhores viu!!

Bejos

Nadja disse...

Obrigada pela visita ao meu blog! =)

evipensieri disse...

Oi Célia.

Obrigada pela visitinha ao meu blog. Volte sempre que puder.

Eu também voltarei aqui.

Bjs.
Elvira

Luis F disse...

Mais um belo texto, com grande informação, abordando uma problemática corrente.

Parabéns pelo texto...

Bjs com amizade
Luis

Aninha Pontes disse...

Célia meu bem, muito bom seu post.
Claro, e importante.
A cada dia, vemos masi e mais pessoas portando essas doenças profissionais.
Eu, felizmente embora com atividades sempre repetitivas, nunca cheguei a ter problemas, mas é importante que se cuide.
Um beijo e bom final de semana.

Andréia disse...

o Presitende tem bursite, vida de peão n é facil..rs

bom, graças a Deus a tendinite ainda não me atacou mas sempre tive medo e as vezes paro para relaxar a mão e fazer aqueles exercicios básicos..

beijokas! e tudo de bom p vc querida...

Edson Marques disse...

Célia,

Excelente o teu artigo!


Deveria ser linkado pelos departamentos de recursos humanos de todas as empresas.


Abraços, flores, estrelas..

Adelino disse...

Célia, antecipadamente eu lhe apresento meus cumprimentos pelo dia das Mães, de todas as mães.
Tudo de bom. Ótimo final de semana e melhoras na tendinite.
Beijos

Andréa Motta disse...

E eu, que vim lembrar a data da blogagem, encontrei uma divulgação linda! Obrigadinha!

Raphael Rap disse...

Muito bom o alerta Célia, é sempre importante lembrar os efeitos que a tendinite pode causar, somente uma vez fiquei com as articulações doendo e não foi nada agradável realmente... Melhoras

Celia Rodrigues disse...

Pessoal, peço desculpas mais uma vez por estar respondendo aos comentários coletivamente. Gosto de fazer isso individualmente, mas com o problema do meu braço preciso me forçar a escrever menos. Então, agradecimentos individuais apenas aos visitantes de primeira viagem.
Agradeço a todos que comentaram sobre esta postagem. É um assunto sério e que merece a atenção de todos.
Alice, seja muito bem-vinda, e desde já te convido a voltar sempre que quiser, será um grande prazer recebê-la.
Nadja, também foi um grande prazer recebê-la. Volte outras vezes!
Renata, você vai aprender rápido, rsrs. É claro que voltarei ao seu blog, e espero que faça o mesmo aqui. Seja Bem-vinda!
Elvira, seja bem-vinda e volte sempre!

Um grande abraço a todos!

Anônimo disse...

Olá Célia, muito obrigada por dividir tua experiência aqui. Tratarei com meus alunos sobre "doenças ocupacionais" e, com tua licença, mostrarei esse texto.
Fique bem!

Celia Rodrigues disse...

Anônimo, fico feliz que meu texto possa ajudá-lo a enriquecer sua aula. É por situações como esta que vale à pena escrever aqui no blog. Que meu exemplo possa ajudar seus alunos a atentarem para sua saúde. Abraços!

Tudo há venda disse...

Ola como anda as dores de tendinite, bursite, hérnia de disco dos alunos? Vamos eliminar?

Tendinite, Bursite, Nervo Ciático, Hérnia de disco e outras dores.
Dos 700 mil operadores no Brasil, pelo menos 15 % estão com a doença. Os demais podem estar no grupo de risco.
PROFISSÃO DE RISCO.
Motorista, Faxineiro, Balconista, Escrivão, Dentista, Protético, Bancário, Caixa de supermercado, Metalúrgico, Jogador de: Futebol, Tênis, Basquete, e Atleta em Geral e outras profissões.
A DOENÇA PROVOCA.
Dores, dormência, formigamento nos dedos, punhos, braços, cotovelos e ombros. Esses sintomas podem ser o começo de uma LER (Lesão por Esforço Repetitivo), DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho). Essas são as definições para mais de 30 doenças ligadas as formas inadequadas de trabalhar. Entre as doenças mais conhecidas estão a Bursite (Inflamação das pequenas bolsas que ficam entre os ossos e os tendões e em articulações). Tendinite (Inflamações dos tendões) e a Tendossinovite (Inflamações do tecido que reveste os tendões).
INFLAMAÇÃO
A inflamação é um mecanismo de resposta do organismo á lesão tecidual, seja ela qual for a origem de agressão, (Mecânica Química ou Infecciosa). Aguda ou crônica ela depende de respostas hormonais e celulares, que senão tratada evolui para uma fase degenerativa. O processo inflamatório esta presente em uma gama de patologia, que nos molestam no dia a dia, sejam elas Agudas (Traumatismo, Cirúrgico ou Infeccioso) ou Crônicas (Artrite, Doença do colágeno e Artrose). Com a bioestimulação com o infravermelho nos tecido inflamado faz com que a célula proporciona uma diminuição de edema, liberando toxina, drenagem linfática, efeito analgésica, endorfina, enzima superóxido desmutase, controle sobre radicais superóxido, estimula a micro circulação, aumento do metabolismo celular, produzindo colágeno, elastina e divisão celular. Com isso elimina as dores, sem uso de medicamentos.
Tudo isso sem medicamento.

ledterapia@r7.com

ledterapia@gmail.com

Valdir Carvalho (tim) 48-88059746

http://videolog.tv/ledterapia/videos/848215