quarta-feira, 21 de maio de 2008

Meninas dos olhos de Deus


Há algumas quartas-feiras atrás eu fui ao culto na minha igreja, como de costume. Nesse dia foi-nos visitar uma missionária que estava passando férias no Brasil, em casa de sua família. Há dois anos, seus campos de ação são o Nepal e Camboja, na Ásia. Seu relato aos poucos foi arrebatando os corações dos presentes e nos levou a uma grande comoção. Vocês entenderão por quê.

Em 1997 o senhor José Rodrigues, médico bem sucedido do estado de Goiás e dono de um patrimônio considerável, esteve na Índia pela primeira vez, em Mumbai, e tomou conhecimento de algo terrível que acontece por lá: a escravidão sexual de meninas vindas dos arredores, especialmente do Nepal. Sensibilizado pela situação, ele sentiu-se tocado por Deus para fazer alguma coisa. Sendo assim, retornou várias vezes àquele lugar, empreendendo ali um trabalho de pesquisa e traçando um plano de ação. No ano de 2000 mudava-se para o Nepal um seu parceiro nessa missão, o pastor Silvio e sua família, para organizarem ali uma casa de recuperação para as escravas prostitutas. Esse projeto, empreendido inicialmente com os recursos financeiros do senhor José Rodrigues, foi chamado Meninas dos olhos de Deus.

A realidade desse lugar é extremamente triste. Ouvir o relato do que acontece ali é de cortar o coração. Num país onde imperam a pobreza e a miséria, os próprios pais vendem suas filhas a homens que prometem dar a elas trabalho, roupa e comida. O “contrato” de venda é válido por um período de até 3 anos, quando elas serão devolvidas às suas famílias. O preço pago por uma menina é de aproximadamente 55 dólares e elas são levadas para trabalhar em supostos restaurantes com quartos camuflados nos fundos, onde são obrigadas a receber até 20 clientes por dia, todos os dias. Vocês imaginam a idade dessas meninas? Elas têm entre 10 e 13 anos.

Na verdade, elas nunca voltarão para casa. Quando chegam por volta dos 17 anos, seus “donos” as expulsam do local de trabalho, substituindo-as por meninas mais novas, mais lucrativas. Então elas passam a ser prostitutas de rua, as de pior categoria, as mais baratas. Ali são ainda mais maltratadas e humilhadas, muitas engravidam e seus filhos passam a ser abusados nas ruas ainda bebês. Quantas delas morrem na sarjeta, de doenças ou assassinadas. Conforme o hinduísmo, religião local, os mortos são cremados em templos e lugares sagrados. Essas meninas nem a isso têm direito. Seus corpos são incinerados nos depósitos de lixo da cidade.

Certo dia, o pastor Silvio entrou num táxi. O motorista, vendo que ele era estrangeiro, entregou-lhe um catálogo de meninas entre 15 e 17 anos, e disse: “se o senhor quiser meninas mais novas, tenho como levá-lo a elas”. Ele aceitou, e foi levado a uma casa onde, numa sala, foram enfileiradas diante dele meninas a partir de 10 anos de idade, cabeças baixas, com fisionomias de vergonha e medo. Obviamente ele não escolheu nenhuma delas, isso fazia parte do seu trabalho de “espionagem” e pesquisa. Saindo dali ele passou muito mal por causa do que havia presenciado e pela compaixão que tinha por aquelas crianças, e percebeu a dimensão do trabalho teria pela frente.

Oito anos se passaram desde a sua chegada ao Nepal e, hoje, moram na casa de recuperação 107 meninas entre as restauradas de suas antigas vidas de escravidão sexual e aquelas que estavam potencimente em risco e foram alvo de um trabalho de prevenção. Elas não são simplesmente levadas para aquela casa e deixadas lá. Essas meninas recebem acompanhamento médico e psicológico. A elas é dada a oportunidade de estudar em boas escolas, fazer cursos de sua preferência, são direcionadas profissionalmente (exigências do governo a estrageiros que se propõem a prestar serviço social no país), e tudo isso é custeado pela missão. E o mais importante, elas são levadas a conhecer a Deus, o Deus que as ama e fez brotar no coração do senhor José, do pastor Silvio e sua família, da missionária Roseane e de toda a equipe dessa missão, o Seu amor por elas, pois elas são "as meninas dos Seus olhos". Pude ver fotos de várias delas, garotas que foram jogadas no inferno da prostituição sem direito à escolha, mas que foram regatadas por Deus para viverem uma nova vida. Elas são a prova de que qualquer pessoa, por mais miserável que tenha sido a sua existência, pode ser restaurada por Deus e viver uma vida nova, plena de alegria, curada de todos os traumas, para a glória do Seu nome.

Se você quiser saber mais detalhes sobre o projeto Meninas dos olhos de Deus, visite o site da Missão Cristã Mundial, que o gere. Lá tem muito mais informações, relatos de experiências com o projeto, fotos e sugestões de como você pode contribuir para a continuidade e crescimento desse trabalho, seja financeiramente, seja em intercessão. Vale a pena se envolver nas causas do Reino de Deus.

Um ótimo feriadão a todos!
Update: Posteriormente à publicação deste texto, recebi um comentátio do próprio Pr. Silvio, missionário citado acima envolvido no projeto Meninas dos Olhos de Deus. Ele faz uma retificação sobre a visita que fez a um bordel em cuja situação teria presenciado meninas nuas. Segundo ele, as meninas estavam devidamente vestidas. Segundo suas palavras, faço a correção deste texto, apenas justificando que tudo que foi escrito acima é baseado na versão apresentada pela missionária que na ocasião trabalhava no projeto, durante um culto que eu mesma assisti.

20 comentários:

FRANCINE ESQUEDA disse...

Olá querida! É incrível como mesmo sabendo de tanta injustiça e violência a gente sente ainda mais dor quando a história está ao nosso lado... Triste mesmo, um absurdo... revoltante...
Por que será de tudo isso?
Parabéns pelo texto e ao Pastor Sílvio!
Fiquei contentíssima com seu comentário! As portas da minha pagina estão abertas com muito carinho para você! Volte sempre!
Um beijo no coração!

NANDO DAMÁZIO disse...

Que horror isso, seres humanos vendidos como mercadoria .. Muito importante o trabalho deste projeto, um grande exemplo !!

Celia, tô promovendo uma Blogagem Coletiva Contra o Tabagismo, caso tenha interesse em participar, tem o selo e as informações na coluna do meu blog .. Se não puder, sem problemas, mas desde já agradeço, abração !!

Alice disse...

Deus sabe de todas as coisas !

bjkas pra vc

Nadja Reis disse...

Belo texto!Acho importante esse projeto! bjoss

Luis F disse...

Ola minha amiga

Os teus textos, os teus documentários, informações e alertas são excelentes e de uma grande qualidade.

Este é mais um que deve ser lido por muitas pessoas, pois contêm muitos aspectos interessantes.

Parabéns

Com amizade
Luis

Georgia disse...

Célia, tudo isso é triste demais. Quantos sonhos destruídos, quanta dor na vida dessas meninas. Olha, esse mundo tem cada coisa e tem tanta gente reclamando a vida que tem e nao sabe nada do que acontece nesses países.
Esse tipo de homem também nao é mole nao, viu.

Beijao

Adelino disse...

Célia, meus parabéns pela sua brilhante reportagem. Aqui no Brasil, segundo noticia a imprensa, temos problema semelhante, mas acho que ainda não chega perto do que foi relatado para vocês. Uma lástima.

Se fizer a coletiva sobre tabagismo, conte comigo.
Beijos

Espaço Mensaleiro disse...

Célia, é sempre um prazer vir aqui.
Saio sabendo mais e fortalecida.
Muito obrigada.
Eliana Alves

Casamento feliz disse...

Mweu Deus do céu , fiquei tocada com esse post . Mais Deus irá restaurar a cada uma tenho certeza

Beijos e boa semana amiga

Lavrador disse...

SEM COMENTÁRIOS!
Missõezinhas e conferências missionáriasdentro da igreja soam a oco diante das necessidades do mundo!

Bem-haja pelas informações,
não necessito dizer que escreve muito bem!

Taty disse...

Oi, Célia. É um absurdo um "ser humano" tratar um igual como objeto em vitrine. Em se tratando de crianças, é incompreensível.
Adorei o texto hj.
Um beijo!!

O Profeta disse...

Uma dramática narrativa que nos faz pensar...


Doce beijo

Diogo disse...

Horrivel ter que presenciar essa verdade. mas o pior é fechar os olhos diante dela. entçao estamos juntos nessa. Agindo independente de como e onde (...)
Isso vai mudar..
Adorei saber de tudo isso.
me incentiva ainda mais no meu trabalho e nos meus sonhos.

Deus Abençoe Célia.
Um ótimo dia...!

Georgia disse...

Oi Célia, imprimi entao o texto sobre Em defesa da crianca e deixe na bolsa, assim quando vc ver uma cena dessas vc entrega e diz que ela precisa ler. kakakkakak.

Sério!

Está tudo bem por ai? Tô correndo muito pois, por aqui é final de ano escolar e o Daniel está no mês de provas e festa de final de escola.


Grande beijo

Celia Rodrigues disse...

Francine, acho que tristeza é um sentimento pequeno diante do impacto de saber de uma história dessas. É só se colocar no lugar daquelas meninas. É aterrorizante! Abraço!

Nando, vou passar lá sim e pegar o selo. As coisas andam meio corridas, mas vou tentar participar. Obrigada pelo convite! Abraço!

Sabe mesmo, Alice. E nós não entendemos como ele permite coisas assim. Abraço!

Que bom que gostou, Nadja! Abraço!

Obrigada, Luis! É mesmo um importante tema. Abraços!

Geórgia, isso é uma verdade. Tantas pessoas reclamam das vidas que têm e nem param para pensar que tem gente vivendo o inferno na Terra. Devemos ser mais gratos pelo temos e somos e olharmos a nossa volta não somente para o nosso umbigo.
Sobre o seu texto, vou fazer isso mesmo, rsrs. Absurdo bater na criança daquele jeito. Aqui está tudo na paz de Deus. Beijo, querida!

Oi, Adelino! Obrigada! Soube que o projeto está ativo no Brasil também, não tenho certeza da cidade, mas é na região do Centro-oeste ou Norte. Que nosso país não chegue a tanto. Vou tentar participar da blogagem. Abraço!

Eliana, fico feliz que meus escritos sejam um benefício para você. É sempre um prazer recebê-la. Grande abraço!

Lavrador, seja bem-vindo e volte sempre! Graças a Deus, Ele tem movido pessoas para se engajar nas causas do reino e resgatar pessoas do inferno, seja onde for. Abraços!

Taty, o pior é que essa situação parece normal naquele lugar. Imagina que horror! Abraço, amiga!

Profeta, que ela nos faça agir também. Abraço!

Diogo, Deus já mudou a realidade de muitas pessoas por meio desse projeto e cremos que Ele fará muito mais. Importa nos envolvermos e ver suas realizações. Grande abraço!

Andréia disse...

estou pasmada! Glória a Deus pela vida o Senhor José! o mundo aí fora tá um verdadeiro Caos.. acho q msm se nós cristão levarmos pedradas não devemos deixar de pregar a restauração e amor de Cristo por nada; pq um dia alguem q ouviu de vc vai falar para alguem que teve uma experiência como essas meninas..

oremos!

Bosco Esmeraldo disse...

Muito bom o seu trabalho.
Eu ia fazer o mesmo que você, depois da passagem do Pr. Missionário William Rodovalho aqui em nossa Igreja, mas você já disse tudo.
Pergunto:
Você permite que eu poste uma cópia desta postagem no meu blog do Scribd http://www.scribd.com/people/view/1627856-joaobosco12?
Manterei a sua autoria e link para o seu blog.
Só me faça saber como devo identificá-la no meu blog.
Meu e-mail - joaobosko@gmail.com
Aguardo resposta.
No amor de Cristo,
Pr. Bosco Esmeraldo.

Juarez Jr. disse...

Olá Célia, sou Juarez Jr. e faço parta da MCM, li seu texto e ficou muito bom, queria informa-lá que em breve será lançado o portal da Mobilização Mundial, fique atenta, terá muitos meio de ajudar as Meninas dos Olhos de Deus, Links:
www.mobilizacaomundial.com.br
www.twitter.com/mobmundial

Anônimo disse...

Ola, Sou o Silvio a quem o texto do Meninas dos Olhos de Deus se refere.
Agradeco a divulgacao da situacao das meninas traficadas no sul e sudeste da Asia, somente tenho de fazer uma correcao. Diz o texto que eu peguei um taxi e fui levado a varias meninas que estariam nuas, nao sei quem disse isso, mas com certeza nao fomos nos ou alguem diretamente de nossa equipe, porque isso nunca ocorreu.
Acontecem realmente muitas coisas tristes, algumas relatamos outras nao, sempre em protecao a dignidade e honra das meninas envolvidas em situacao de trafico, abuso ou prostituicao, em algumas situacoes na India e no Camboja fomos levados a ter contato com meninas e criancas em bordeis sim, ate escrevi isso no livro Meninas dos Olhos de Deus, ultima edicao. Mas nunca aconteceu das meninas estarem nuas, quem fez o comentario fez sem o devido conhecimento da situacao e agregou certa dose de exagero no relato. Com certeza a pessoa nao faz parte de nossa equipe, ou pelo menos, nao participa de perto conosco, porque combatemos os exageros na divulgacao porque criam um clima de sensacionalismo que em nada ajuda as meninas envolvidas em tais problemas.
Peco desculpas aos que leram o texto, mas nao partiu de nos, tambem creio que devo insentar quem escreveu o texto, porque pelo que vi, a pessoa escreveu com muita boa vontade de ajudar e se baseiou num relato de alguem que exagerou na historia, talvez a pessoa que falou tambem deve ter ouvido de outra pessoa, entao...nao cabe julgar quem errou, mas fica a correcao pelo bem da honra e dignidade das meninas citadas no relato que ja estavam por si mesmas humilhadas em estarem sendo expostas como mercadoria e nao precisaria mais essa grande dose de humilhacao.
Creio que parte da situacao narrada aconteceu no Camboja em 2006, quando me levaram num bordel e me apresentaram para 8 meninas, algumas criancas, muito tristes, porem, devidamente vestidas.
Obrigado,
Silvio-Nepal
silvionepal@hotmail.com

Anônimo disse...

Escrevi no ultimo comentario a palavra "insentar", mas foi erro na digitacao que nao corrigi a tempo, fica a resalva: "ISENTAR" e' a forma correta, peco perdao pelo meu erro.
Obrigado
silvio-nepal