quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Saudade...

Como prometi no último post, eis a minha dose de nostalgia.

***

Aprendi a costurar quando tinha uns 14 anos de idade. Mamãe me ensinou o método que ela aprendeu quando eu nem havia nascido ainda. Ela tinha a preocupação de que eu fosse, no futuro, uma boa dona de casa, que soubesse cozinhar, lavar, passar e cuidar bem de uma casa (esse era o seu mundo). Acho que por isso me ensinou a costurar também. E eu aprendi direitinho e fiz muitas roupas, não só para mim como para outras pessoas, inclusive para a mamãe!

Na adolescência, quando eu ainda não trabalhava, mas queria ganhar dinheiro que não fosse do meu pai, eu aceitava encomendas das minhas amigas e das minhas irmãs, que, ao contrário de mim, não foram boas alunas da mamãe, hehe. E as roupas ficavam legais, eu era bastante caprichosa e cuidava bem dos detalhes e acabamentos.

Durante muito tempo eu costurei. Mesmo depois que comecei a trabalhar, quando tinha uma folga fazia alguma peça, agora só para mim mesma, para não perder o hábito. Afora as peças de vestuário, cheguei a confeccionar lindas cortinas e capas de almofadas para a minha antiga casa, quando me casei e mudei para lá. Mas o tempo foi ficando cada vez mais escasso e acabei por parar de vez.

Nunca cheguei a comprar uma máquina de costura, sempre usava a da mamãe. Mesmo depois que me casei, quando queria fazer alguma coisa ia para a casa dela e costurava em sua máquina, uma Singer Facilita antiga, onde foram feitas várias peças do meu enxoval de nascimento... Faz tanto tempo que parei usá-la. Ela sempre me deixava nervosa por ser tão antiga, mas às vezes bate uma saudade...

Ultimamente tenho ficado encantada pelas peças criadas para o lar, coisas de blogs craft que vejo de vez em quando. Já não tenho tanta paciência para confeccionar roupas, pois exigem tempo e dedicação, recursos que ainda me faltam para tal. Mas ainda penso em comprar minha primeira máquina, uma Singer Facilita como a da minha mãe – porém, mais moderna, rs.

Hoje a costura tornou-se, para mim, algo distante e nostálgico. Resume-se em alguns utensílios básicos que me permitem resolver situações de última hora, coisas do dia-a-dia, como fazer uma bainha à mão, pregar um botão, cortar um fiapo de linha solto na barra de alguma peça. A costura, para mim, tornou-se doces lembranças dentro de uma caixa. Minha caixa de costura.

15 comentários:

Georgia disse...

Célia, eu só sei costurar emlinha reta. Fiz o enxoval do Daniel e da Vivi, para a caminha deles e ficou lindo, lindo. Mas gostaria de ter aprendido a costurar roupas. Aqui eu ganharia uma graninha ótima se soubesse costurar.
Vc nao conseguiu ver as fotos? Entao clica lá no link para poder ver.

Beijao

instantes e momentos disse...

gostei do teu blog.
vim conhecer e gostei.
Maurizio

Casamento feliz disse...

Que linidnho ... não sei costurar nada , mau consigo pregar um botão

rsrs

Beijos

Grace Olsson disse...

Menina, nunca aprendi.MAS MINHA MÃE ERA COSTUREIRA DE MÃO CHEIA.
BJSEDIAS FELIZES
http://www.eueorenascerdascinzas.blogspot.com/

Sonia Regly disse...

Célia,
Agradeço a doce visitinha.Obrigada, me senti honrada!!!!! Eu sei costurar, mas não tenho paciência, prefiro comprar pronto e vestir logo!!!! Às vezes faço alguns consertinhos, mas não gosto muito, antigamente éramos ensinadas a sermos excelentes donas de casa. Agora todo mundo quer ficar na net, navegando !!!!!!rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

vivendo disse...

Fofura,
eu não sei costurar, não sei fazer tricô, crochê, mas gostaria muito!!!beijo, Vivi

simone corpo,mente e arte disse...

Oi Célia , eu não sei costurar mas gostaria muito de aprender, aprendi nos últimos anos a fazer ponto-cruz e estou muito feliz , costurar faz parte dos meus planos.bjs. Simone

Sonia Regly disse...

Célia,
Resolvi compartilhar lá no Blog, textos que falam das maravilhas de Deus. Apareça por lá, deixe o seu comentário. Beijinhos.

Adelino disse...

Célia, pelo visto sou um dos poucos leitores homem do Prisma, mas sem problemas. Tudo tem a sua exceção. Quando fala de nostalgia sempre tenho alguma coisa para contar: você falou da máquina Singer. A minha mãe costurava numa delas. Eu ficava por perto apenas para ter o orgulho de criança de ajudá-la a colocar a linha "Corrente" (de carretel de madeira) na agulha da máquina. Só que a máquina era bem antiga, quer dizer, era moderna para a época: de pedal, não elétrica, e lembro-me bem, fabricado pela Singer Sewing Machine Company, numa época em que tudo era importado...
Parabéns pelo post.
Beijos e ótimo final de semana.

O Profeta disse...

Fecham-se as janelas de poente
Acenderam-se os luzeiros no céu
A cidade desperta para o arraial
Uma noiva procura o perdido véu

Os acordes da Banda no Coreto
Uma tuba marca o compasso
O clarinete dança na calmaria
O Maestro solta gestos no espaço



Bom fim de semana



Mágico beijo

Aninha Pontes disse...

Sabia que daqui ia sair um post delicioso.
Que bom que contribui para essas suas lembranças.
Bonito isso.
Quer dizer que és uma artista na linha e agulha heim?
Bom lembrar, bom ser feliz.
Beijos meu bem.

Andréia disse...

que máximo eu acho costura um luxo. na minha família todas sabem menos minha mamy e eu fui p o msm lado..rs + gostaria de saber costurar


ate+

Mary disse...

adorei recber sua visita amiga.. quero tb com tempo vir aqui e ler mais de vc.. gosto de poss passados assim como vc, acho q por isso sempre tentei manter meus endereços antigos, ñ gosto de jogar nada fora.. hehehe.. tão ruim qto comentar sem ler post ou comentários pré prontos são aqueles q ainda incluir "LIDO", sem ter lido nem uma linha.. hehehe.. detestar política hj já é normal, poucos são meus amigos q se interessam por isso ainda..

amiga, sou péssima com trabalhos manuais, minha avó era costureira de mão cheia, bordava e fazia tricôs maravilhosos, até me "ensinou" algumas coisas qdo eu era menor, mas nunca levei jeito.. nem manta para as bonecas eu conseguia fazer.. minha mãe sempre trabalhou fora, mas sabe mexer com uma máquina de costura, ela tem uma singer, que embora antiga acho q ñ é igual a da sua mãe, hehehe.. hj a máquina anda meio aposentada pq precisa de conserto e ñ tem ninguém competente em minha cidade q consiga mexer com ela, uma pena.. admiro que tem dom para trabalhos manuais, acho q por ver a vida corrida da mãe nunca me interessei pelas coisas de casa q minha vó fazia..

bjoks mil e ótimo domingo amiga..

Sonia Regly disse...

Célia,
Têm um lindo Post lá no Blog. Apareça por lá, sua presença me faz muito feliz!!!!

Celia Rodrigues disse...

Olá, amigos! Obrigada pelos comentários, todos lidos e guardados no meu coração!

Maurizio, seja bem-vindo!