sexta-feira, 1 de agosto de 2008

A veracidade dos sentimentos

Só experimenta a verdadeira alegria,
aquele que passou pela maior das tristezas;
Só sabe amar profunda e incondicionalmente,
aquele que foi odiado e hostilizado;
Só libera perdão ao seu agressor,
aquele que de suas agressões foi perdoado;
Só se torna grato,
aquele que passou pela maior das privações;
Só valoriza o que tem,
aquele que esteve a ponto de perder seus bens;
Só reparte o que tem,
aquele que reconhece que a vida é um dom imerecido de Deus;
Só é capaz de se desculpar,
aquele que se percebe um ser humano, tão comum quanto os outros;
Só tem fé,
aquele que pode prová-la através de suas ações;
Só supera a dor,
aquele que crê que o melhor sempre está por vir;
Só é verdadeiro,
aquele que provou o fel da mentira;
Só é amigo da sabedoria,
aquele que sabe nada saber (Sócrates);
Só oferece verdadeira e genuína adoração,
aquele que conhece a Deus intimamente;
Só é humilde,
aquele sabe exatamente quem ele é;
Só é verdadeiramente abençoado,
aquele que reconhece a soberania de Deus.

A primeira frase eu li num livro há muitos anos, do qual não me recordo o nome, e achei-a belíssima e profunda. Pensando nela, me surgiram as seguintes.

12 comentários:

vivendo disse...

Lindo!!!!!!!!!!!Lindo!!!!!!!!!!!!!Lindo!!!!!!!!!!!!!!!!!beijo, Vivi

Espaço Mensaleiro disse...

Celinha, parabéns!

Um grande abraço.

Eliana

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Amei a dica do "Paixão Índia" vou comprar esta semana! Acabei de ler "Adeus China" hoje e estava com aquele gostinho de: E agora? Odeio ficar sem ter um livro para carregar comigo para todos os locais, consultório médico, fila de banco e etc. Vou tentar sua dica.



Bjocas

Georgia disse...

Ai, Célia, que vc me colocou água na boca com este livro, viu.
Espero que vc divida conosco lá no que elas estao lendo.

Lindo o poema. Muito a refletir.

Boa semana

Beijao

O Profeta disse...

Palavras profundamente belas...as tuas...


Doce beijo

edson marques disse...

Célia,


Gostei do teu comentário deixado no blog Mude: profundo e certeiro!


Teu blog é encantador. Esse teu poema de hoje, especialmente!


Abraços, flores, estrelas..

vivendo disse...

Celinha,
passando para um beijo, Vivi e perolinha

Andréia disse...

li algo parecido anos atrás e concordei. Só vivendo mesmo para saber o que é bom e o que não é. Beijos e ate+

Taty disse...

Q lindo, Célia.
Lindo mesmo.
Parabéns.
Um beijo!!

Adelino disse...

Célia, li com atenção e aprovei todas os "só", todas as condições... Belo texto.
Beijos

simone disse...

Oi Célia, li o livro Paixão India e AMEIIIIIIIIIII.Q uero ler outra vez, mas emprestei p uma amiga kkkk, afinal coisas boas precisam ser compartilhadas.bjs.Quando terminar de ler me conte o q vc achou.bjs. Simone

Celia Rodrigues disse...

Olá, queridos! Que bom que gostaram do poema! Essa é uma forma da escrita na qual nunca me achei ter boa expressão, mas parece que até quem não é poeta consegue fazer poesia quando o que escreve vem de dentro da alma... Essa é a magia da escrita.

Grata pelos coments! Abraços a todos!