domingo, 28 de setembro de 2008

6 anos

Hoje meu coração está em festa! São seis anos ao lado da pessoa mais linda que já conheci. Parece que tudo aconteceu outro dia e, ao mesmo tempo, parece que estamos juntos há séculos. O que sei é que fomos feitos um para o outro, sob medida, e isso se torna mais evidente a cada dia compartilhado.

Meu querido, te amo muito mais do que quando nos casamos e sei que esse sentimento continuará a crescer por quanto tempo mais permanecermos juntos. É um privilégio ser tua esposa!

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Notinhas

Fazendo minhas visitas virtuais na semana passada, percebi como há pessoas desistindo de seus blogs. Vários foram cancelados e outros tantos estão, há meses, sem manutenção. Creio que não acontece só comigo, muita gente tem sentido dificuldade em manter seus espaços atualizados. Posso apontar dois fatores principais para isso: falta de tempo e problemas do dia-a-dia que nos roubam a inspiração. De qualquer forma, é muito triste ver que tantos blogs legais e interessantes como alguns que eu tinha na minha lista, simplesmente deixam de existir da noite para o dia. Espero resistir a isso, mesmo quando for muito difícil vir aqui compartilhar minhas idéias com vocês.

*** *** ***

Desde que saí de férias em julho, venho respondendo aos comentários de forma coletiva. Quem já acompanha o Prisma há algum tempo sabe como eu gosto de responder de forma individual como uma maneira carinhosa de retribuir a participação de cada um, mas não tenho conseguido manter isso, não só por falta de tempo, mas por causa da minha tendinite. Tenho tido crises constantes de dor e inchaço e, por isso, preciso diminuir sempre que possível a digitação, causa principal do problema. Enquanto isso persistir, continuarei respondendo coletivamente, mesmo a contragosto. Espero que vocês me entendam. E me perdoem.

*** *** ***

Estou iniciando um novo projeto. Só iria contar aqui mais pra frente, mas vou abrir logo o jogo. Resolvi publicar alguns contos num livro online. Na verdade, isso é um ensaio para o livro que ainda pretendo publicar por vias convencionais, como vocês já sabem. Estou em fase de produção de textos. Logo mais, juntarei o que estou produzindo com o que já tenho na gaveta e farei uma seleção do que será registrado e, posteriormente, publicado. Estou ansiosa e muito contente com esse projeto e, desde já, conto com vocês, meus queridos leitores, na torcida prévia e na futura apreciação da “obra”.

*** *** ***

Domingo haverá uma festinha por aqui. Até lá!

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Quando eu tocava piano

Ouvindo esta música enquanto trabalhava, me veio à memória os tempos da minha tenra infância quando eu também dedilhava um piano.

Sempre fui apaixonada por música. Como já escrevi aqui, tenho uma relação de amor com ela. Como freqüento igreja a minha vida toda, e este é um cenário onde a música está sempre presente, não foi difícil me apaixonar por ela. Especialmente pelo som do piano que, por ser um instrumento clássico, normalmente embala a música sacra.

Eu tinha só seis anos e já admirava profundamente aquela pianista. Olhava para ela todos os domingos, fascinada, querendo tirar o som de forma tão doce e delicada daquele lindo piano vertical como ela fazia. Insistia com meus pais para que a pedissem que me ensinasse. Num belo dia ouvi mamãe combinando com ela a minha primeira aula. Fiquei radiante!

Foram três anos de aulas semanais que incluíam teoria musical e prática no instrumento. Como eu aprendia rápido! Como eu gostava de tocar! Mas quando se é criança, não se sabe o verdadeiro valor das coisas. A rotina das aulas me cansava e por vezes eu não queria treinar fora do período de aula. Eu só tinha nove anos...

Um dia minha mãe, exasperada por insistir para que eu fosse treinar sem que eu quisesse, disse que me tiraria das aulas devido à minha falta de interesse. E foi assim que meus dias de pianista chegaram ao fim. Sei que deve ter sido exaustivo para ela, mas sei também que seu dever era primar pela minha formação e era óbvio que a música tinha tudo a ver comigo. Ela devia ter insistido...

O piano é uma parte importante da minha infância que quero resgatar. Nos últimos tempos tenho sentido muita falta de saber tocar - perdi toda a prática -, até porque sempre estive envolvida com a música de forma cantada e nem sempre é confortável depender de alguém que toque para mim. Quero reaprender a tocar. Mas não serve outro instrumento, só o piano. Aquele doce som que embalava minha infância e fazia brilhar os meus olhos... E ainda faz...

Música de Frédéric Chopin, Nocturne Op.9 No.2

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Ela ataca de novo

Pessoal, só pra justificar o sumiço, minha tendinite me afastou de novo da rede. Ela tem sido cruel comigo, mas prometo voltar com a corda toda assim que minha mão desinchar e parar de doer. Por hora, fiquem com esse pequeno recadinho escrito a uma mão só.
Imagem Google

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Em manutenção

Alguém tem sentido dificuldade em postar comentários aqui?

Tenho sentido falta de alguns comentaristas fiéis aqui do Prisma, e estava achando que essa ausência fosse apenas pela minha pouca freqüência aos seus blogs, até que recebi um e-mail da Jan e um recado da Lucy no orkut, dizendo que não conseguem comentar. Já desativei a janela pop-up de comentários, talvez alguns tenham dificuldade em acessá-la devido à segurança de suas máquinas, mas se alguém mais está com problemas, peço que mandem um e-mail pra mim explicando-o, para que eu possa tentar resolver. Vocês sabem, né, seus comentários são preciosos para mim!

Sem post por hoje, só na semana que vem. Beijos e ótimo fim de semana a todos!

E-mail do Prisma: blogprisma@gmail.com