quarta-feira, 31 de março de 2010

O mundo é dos "fortes"

Imagem pesquisada no Google


Eu não acompanhei o Big Brother Brasil este ano, assim como já não acompanho há muito tempo, mas é impossível assistir a qualquer outra programação da Rede Globo e não ficar informado sobre o que se passou dentro da casa.

Algo que notei, não só nesta última edição, mas especialmente nesta, é que as pessoas que mais se destacam no programa – e por vezes vencem o jogo – são as ditas de personalidade “forte”. Leia-se por “forte”, briguenta, mal educada, ofensiva e hostil. É interessante observar que a maioria de nós associa gente bem resolvida àquelas que dizem qualquer coisa na “lata” das outras da forma como bem entendem. Poupar os outros, quem quer que seja, de ser ofendido é uma atitude totalmente desconsiderada e descabida nos nossos dias. Temos todo o direito de vomitar qualquer porcaria na cara das pessoas, ainda que quase sempre essa sujeira pertença a nós mesmos, aos nossos preconceitos, inveja e sentimentos destorcidos.

Levo totalmente a sério o antigo provérbio que diz, “Palavras são de prata, silêncio é de ouro”, e olha que a calma não é uma das minhas principais virtudes, embora pareça. Ao contrário do que se possa pensar, não defendo pessoas omissas e passivas que aceitam tudo sem se manifestar. O que repudio é uma pessoa pensar que pode se dirigir à outra com total falta de respeito, tanto nas palavras em si como na forma de pronunciá-las. Penso que em algumas situações o silêncio é a melhor opção, pois é uma forma de inibir esse sentimento destrutivo que todos nós carregamos. Palavras devem ser ditas sim, sempre, mas na hora e da maneira certas. E o momento da ira decididamente não é uma boa hora.

Mas o que se pode esperar de um programa como esse? As pessoas vibram com confusão, gostam da agressão verbal – e até física se possível –, sem esse ingrediente o programa não teria tanto sucesso. E ele revela esse lado feio que a maioria de nós carrega e valoriza: o desrespeito aos outros justificados pelos nossos próprios motivos, muitas vezes fúteis e egoístas. Tanto apoiamos esse tipo de comportamento que a prova disso é o vencedor dessa última edição, uma das criaturas mais rudes e agressivas que já vi – de longe, graças a Deus.

E fico a matutar: aonde foram parar virtudes como hombridade, amabilidade, empatia, sobriedade, sensatez? É, não se ganha nada cultivando esses tipos de fraqueza...

7 comentários:

Renata Nogueira disse...

Ei Celia!
Vim conhecer seu blog!
Adorei nosso encontro de blogueiras!!
Beijão

O que elas estao lendo!? disse...

Hoje saiu o resultado do sorteio do livro. Passe para assistir ao video e ler sobre o encontro que aconteceu.

http://elasestaolendo.blogspot.com/2010/03/tassia-camargo-atriz-da-o-resultado-do.html

Bjao e boa Páscoa

Equipe do blog (rs)

Georgia disse...

É amiga, você tem toda a razao. Aqui tb passa isso e eu nao assito porque acho muita baixaria. Pelo que leio acho que isso faz parte do programa porque por aqui tb é assim. Dá prá ver quando eles passam na propaganda.

Boa Páscoa e adorei saber do encontro de vocês.

Bjao

Jortas disse...

Vim até cá seguindo outro blog.
Muitos parabéns pelos três anos deste cantinho.
Seu texto coloca interrogações muito sérias.
Que mundo estamos a deixar aos nossos filhos!
Boas páscoas

Carmem Tristão disse...

Geórgia! Conhecer você foi especial. vim conhecer o seu blog e já to me abancando por aqui hein!!!!

Sonia H disse...

Célia,
Quanto tempo, não é?
Amei o teu texto e são minhas as tuas palavras. Não assisto BBB há muito tempo... mas sinto-me muito incomodada atualmente com esta total inversão de valores.
Feliz Páscoa!

Jannine disse...

Célia, uma feliz e abençoada Páscoa para vc! Super beijo.

p.s. Cê não ligou? =( Já veio ou ainda vem??? Eu mandei e-mail com meu telefone!