segunda-feira, 15 de março de 2010

Quebrando paradigmas

Imagem pesquisada no Google

Sou uma pessoa que não gosta de improviso. Dar um jeitinho, ir se virando como se pode, o provisório que vira permanente, incompetência no que se propõe a fazer, são coisas que me desagradam profundamente.

Acredito nas coisas bem feitas, dou credibilidade àquilo que se baseia em alicerces bem construídos e acho que o que é naturalmente bom não basta, tem que ser acompanhado da perfeição proporcionada pela técnica. Penso que uma pessoa é mais respeitada quando seu trabalho trás o respaldo de uma boa ficha acadêmica. Sou essencialmente assim, mas outro dia fui impactada por duas histórias que abalaram esses meus conceitos pré-estabelecidos.

Como eu já contei aqui no blog, sempre estive bastante envolvida com música e, nos últimos tempos, tenho me enveredado por um caminho que torna bem possível a minha profissionalização nessa área, o que requer mais que apenas talento, requer principalmente estudo, capacitação, que é um caminho um tanto longo na área musical, mas imprescindível no meu ver. Até agora o único instrumento com o qual trabalho é a minha própria voz, mas está chegando um momento em que isso não basta. Aí entra aquela minha antiga história com o piano, que já não se trata apenas de uma paixão pelo instrumento, mas da necessidade de aprendê-lo para a possível inclusão numa nova faculdade, a de música.

Acontece que tenho tendinite no punho direito.

É incrível como os obstáculos se erguem à frente dos nossos alvos. Quando isso acontece, fica a preocupação de investir em algo tão importante e futuramente ver os objetivos escorrendo por entre os dedos, comprometidos por uma disfunção das minhas próprias mãos. E para mim, está fora de questão assumir um trabalho de forma amadora.

Pensando nessas coisas, e um tanto triste com o obvio reafirmado pela opinião dos mais próximos, comecei a ler sobre a carreira de dois músicos. Uma trata da história do maestro João Carlos Martins e sua saga de superação. Esse renomado músico – pianista – teve sua mão direita quebrada num jogo de futebol. Tempos depois desenvolveu LER (Lesão por Esforço Repetitivo – a famosa tendinite) na mesma mão e, como se não bastasse, foi vítima de um assalto cuja agressão em sua cabeça comprometeu os movimentos da outra mão (leia o resumo de sua biografia aqui). Você deve estar pensando que diante de toda essa tragédia ele encerrou sua carreira... Ledo engano. Basta visitar o seu site para ficar a par de sua agenda.

A outra é sobre o músico grego Yanni. Filho de músicos, ele herdou essa habilidade natural. É formado em psicologia e nunca estudou numa escola de música, sendo autodidata nesta área. No entanto, assistir aos seus concertos, que reúnem músicos de diversas nacionalidades proporcionando um show de cultura, é um verdadeiro deleite! Por não saber escrever música de forma convencional, criou uma forma própria. É um grande maestro!

Olhando por esse novo "prisma", não consigo enxergar o meu problema de tendinite ou a minha aparente falta de capacitação que tanto me incomoda. Outro dia me disseram “faça música com o que você tem nas mãos”. Não preciso ser perfeita para que só então a minha música aconteça. Apesar de continuar considerando relevante o que preceitua um trabalho primoroso, já não vejo essa postura como verdade absoluta e inflexível. Fico maravilhada com histórias como essas, capazes de nos abrir os olhos e nos fazer rever nossas convicções. E fico grata a Deus por me presentear com a sensibilidade de conseguir olhar em outras direções e perceber que os Seus propósitos não se resumem aos nossos padrões.

5 comentários:

Luciana Reis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana Reis disse...

Receba aí, como se ao seu lado eu estivesse, meus aplausos pela sua belíssima conclusão.
Deus te usará com o que você tem!
Prossiga!!!

Georgia disse...

Quero saber como andam as aulas de direcao, para a sua tendinite fica difícil tocar algum instrumento como piano, pois requer muito.

Um beijao

Marcello de Oliveira disse...

Shalom!

Uma alegria conhecer seu blog. O Eterno resplandeça o rosto Dele sobre ti e toda a sua família.

Medite no Sl 36.8,9

Nele, Pr Marcello

Visite: http://davarelohim.blogspot.com/

P.s>>> Caso vc se identifique com o blog, torne uma seguidora. Será uma honra!

Grato!

O que elas estão lendo!? disse...

Célia,


estou vindo te convidar para ler a entrevista de uma autora brasileira bem legal.
Aqui neste link.

http://www.elasestaolendo.blogspot.com/

Um beijao Georgia