quarta-feira, 21 de julho de 2010

Coleções

Costumo ler bastante sobre decoração e uma coisa que sempre me chama a atenção nesse gênero é a menção sobre coleções. Os colecionadores costumam levar tão a sério seu hobby que alguns projetos prevêem a execução de móveis ou ambientes exclusivos para organizar os mais variados tipos de quinquilharia em grupo.

É muito interessante, para não dizer engraçado, observar as preferências das pessoas quando aderem a uma coleção. Há aquelas opções elegantes e clássicas como colecionar moedas antigas ou de diversas nacionalidades, miniaturas de Ferrari, vinhos raros ou selos. Mas em algum momento sempre aparece alguém para barbarizar com as convenções elegantes, hehe.

Uma simpática moça é colecionadora de abacaxis (de louça) e outra de elefantes. Uma senhora coleciona canecas. Outra coleciona esferas de vidro, louça e outros materiais nas mais variadas cores, além de reunir pingüins de geladeira (sobre a geladeira!!!). Um rapaz coleciona discos de vinil e há até quem colecione garrafas de pinga.

Fiquei pensando em algo que pudesse colecionar também... Não, não, com certeza isso não é o tipo de coisa que combina comigo. Não sou do tipo que junta coisas, que fica guardando para o caso de precisar, sempre me livro que tudo que não tenha utilidade para mim. Claro que às vezes me arrependo, mas aí já é tarde. Além do mais, d-e-t-e-s-t-o miniaturas e não suporto a sensação de acúmulo. Minimalista, esta é uma boa classificação para mim. Ainda assim, admiro os colecionadores.

E devo confessar que já fui uma colecionadora também. Afinal, qual a adolescente da minha geração que não teve uma coleção de papéis de carta? E este fato reforça a idéia de que não tenho o menor espírito para a coisa: nem sei que fim levou a tal coleção!