sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Julie & Julia


Já faz alguns dias que assisti a esse filme e a-d-o-r-e-i! Afora a moral da história de que sempre é possível dar uma guinada na vida tendo uma boa idéia e fazendo o que se gosta, ela fala de gastronomia, um dos meus prazeres. Sem falar na atuação da maravilhosa Meryl Streep.

A história conta sobre uma moça na casa dos trinta que ainda não se realizou profissionalmente e está meio perdida e descontente. De repente ela tem a ideia de um projeto gastronômico que envolve um blog e uma renomada culinarista de comida francesa. Não vou contar mais, fica a sugestão.

Ah! Antes que me esqueça, quer algumas dicas valiosas para se mudar (de casa) com tranqüilidade? Confira aqui!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Gripe ou Resfriado? Você sabe a diferença?


Depois de adulta nunca fui alvo fácil de gripes e resfriados fortes. Claro que costuma acontecer de vez em quando, mas assim como a maioria das pessoas, sempre acho que é algo simples e logo vai passar. Quase sempre acerto, mas desta vez tem sido diferente. Acabei tendo que procurar um médico e fazer exames. Mesmo em casos aparentemente simples é preciso tomar certos cuidados, pois resfriados mal curados podem trazer surpresas desagradáveis...

É comum dizermos “peguei uma gripe” para qualquer situação que envolva espirros, tosses ou problemas respiratórios, porém, a verdade é que quase sempre o que ocorre é um quadro de resfriado. Mas qual é a diferença entre gripe e resfriado?


O resfriado é causado por alguns tipos de vírus, especialmente o rhinovírus, que ataca as vias aéreas atingindo principalmente nariz e garganta. Provoca coriza, espirros, algumas vezes tosse e febre baixa, e pode passar sem a ajuda de remédios em menos de duas semanas. Já a gripe é uma infecção bem mais profunda, também causada por vírus – o influenza – e ataca também os pulmões. Apresenta, além dos sintomas já citados, febre alta, prostração, dores de garganta e no corpo, inflamação dos olhos e dores fortes de cabeça. Também pode passar sem a ajuda de medicamentos que, no entanto, são necessários para amenizar os sintomas.

Tanto a gripe quanto o resfriado podem evoluir para um quadro mais sério. Isso acontece quando bactérias aproveitam da fragilidade causada pelo vírus e provocam algum quadro infeccioso, como uma pneumonia, por exemplo. Neste caso, o tratamento feito com antibióticos é essencial para a melhora do doente.

O que fazer para se prevenir? Isso não é tarefa fácil. Eu diria quase impossível. Não podemos impedir o contato com o vírus, mas podemos diminuir tais possibilidades. A palavra chave é higiene. Lavar as mãos sempre é fundamental, pois grande parte do contágio se dá pelo contato manual com o doente ou com coisas relacionadas a ele. Manter distância de pessoas infectadas também é bom por causa do contágio pela tosse e pelo espirro. Pessoas gripadas ou resfriadas devem separar utensílios como copo e talheres para sua exclusiva utilização enquanto estiver doente.

O esclarecimento de alguns mitos também pode ajudar a tomarmos os cuidados certos nessas situações.

- Boas doses de Vitamina C não são capazes de evitar gripes ou resfriados, apenas fortalece o organismo.

- O inverno não é a causa de gripes e resfriados. O que ocorre é que os vírus atuam principalmente em condições de clima mais frio. Nesse período permanecemos em ambientes mais fechados e sem circulação de ar, o que facilita a ação dos vírus. Por isso se agasalhar não é meio de prevenção, mas ajuda a não piorar um quadro de infecção já existente.

- Sopas e chás assim como remédios, não curam gripes e resfriados – eles não têm cura – apenas amenizam os sintomas. As sopas e chás, por serem quentes, trazem uma sensação de alívio e bem estar, nada mais que isso.

Nos últimos anos o serviço público de saúde tem feito campanhas de vacinação contra a gripe, a princípio especialmente para idosos, que são mais vulneráveis às infecções. Esse tipo de prevenção é importante uma vez que já se detectou que o vírus da gripe tem-se mostrado mutante, ocasionando formas mais graves da doença.

No mais, uma alimentação saudável aliada a exercícios físicos sempre ajudam a fortalecer o organismo contra todos os males. Neste caso especificamente, não os evita, mas que ajuda, ajuda.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Rapidinha

Uma passada rapidinha só pra dizer que tem post novo aqui.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Alegre, muito alegre!

Imagem: Google

Tenho alguns motivos para estar muito alegre hoje. O principal deles é que, depois de sete meses de um processo cansativo e algumas vezes frustrante, acabo de chegar da minha prova de trânsito com resultado positivo. Ehhhhhhhhhh!!!

O segundo motivo da minha alegria é que estou com dois novos espaços na blogosfera. Bem, um não é tão novo assim, trata-se da reativação do blog Convicções Religiosas e tem texto fresquinho por lá.

O outro sim, é novinho em folha. Acabo de criar o blog Bem viver, que vai tratar de assuntos ligados ao universo feminino. Vamos prosear sobre casa, saúde, comportamento e bem estar, dentre outras coisinhas. Espero que passem por lá não só para conhecer, mas que voltem de vez em quando, que curtam a conversa, que comentem, que o adicionem à sua lista de blogs, que se tornem seguidores...

Ai, ai... Muito alegre hoje...

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Lidando com os próprios fantasmas


Ah, os pais! Tantos deles não fazem idéia do tamanho de sua contribuição naquilo em que seus filhos se transformarão. E não falo de delinquência ou bandidagem, falo de comportamentos sutis da personalidade, da forma de agir diante de uma situação, de sentimentos do ser humano em relação a si mesmo.

Sei que os pais – a maioria deles, creio – desejam o bem de seus filhos. No entanto, muitas vezes sua postura, ainda que não seja intencional, desenvolve neles comportamentos difíceis de lidar por toda a sua existência.

Durante toda a minha vida, quando acontecia algo errado comigo ou em relação a mim, eu ouvia a seguinte frase: “Se você tivesse agido dessa forma isso não teria acontecido” ou “se você não tivesse ido lá teria evitado isso”. Se eu me machucasse, ou perdesse algo, ou sujasse a roupa, enfim, a culpa era sempre minha, não importava como ocorreu, eu poderia ter evitado. Isso naturalmente gerou em mim um incrível sentimento de culpa por tudo e, consequentemente, uma enorme dificuldade em me defender. Pois, como pode se defender alguém que já se condenou?

Quando somos crianças e até na adolescência, acreditamos piamente em tudo que as pessoas falam. Quando crescemos um pouco acabamos por perceber que há algo errado e que essa verdade não é absoluta, mas então o estrago está feito e lutar contra isso se torna muito mais difícil.

Tentar não me autoacusar por tudo e por nada é algo pelo qual tenho lutado há muito tempo e é impressionantemente difícil tentar arrancar aquilo que já está arraigado na gente. Mas tenho tido sucesso. Filtrar as situações é um exercício às vezes árduo e é necessário fugir da posição de coitadinha, tanto para saber me defender quanto para assumir as consequências daquilo que, de fato, é minha responsabilidade.

Mas como tudo na vida tem seu lado positivo, acredito que viver essa experiência, e entendê-la, me faz uma pessoa mais madura no sentido de estar atenta a não cometer o mesmo erro com meu filho, quando vier a tê-lo. Creio que essa será a melhor maneira de exorcizar esse fantasma da minha infância.