segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

É noite na alma, mas... Feliz Natal!


Um amigo me disse que estamos vivendo um momento difícil que ele denomina “Noite da Alma”. Dias atrás, perdemos uma amiga, outro amigo em comum perdeu o pai e, como se não bastasse, corri sério risco de perder meu sobrinho. Lembram dele? Pois é, já está internado há 50 dias com uma infecção grave, mas, diferente de uma semana atrás, hoje ele começa a ter alguma possibilidade de melhora. É muita dor para um coração, mas cremos piamente na soberania de Deus.

Voltando à metáfora do meu amigo, a escuridão da noite pode representar muitas coisas desagradáveis. À noite todo medo é mais intenso, toda dor é mais forte, toda febre é mais alta e, nessas situações, amanhecer parece impossível. No entanto, quanto mais escura for a noite, tanto mais conseguimos perceber como as estrelas são brilhantes e estão sempre lá para tornar nossa escuridão menos densa. Por outro lado, a noite também pode significar descanso, repouso, entrega, renovo e o prenúncio de um dia melhor.

Voltei os olhos para essa época tão especial para mim, que é o natal. Ele tem sua origem numa noite difícil, conturbada e, aparentemente, sem perspectivas. Uma “Noite de Paz”, em que um casal correndo de um lado para outro, sequer encontra uma hospedaria que possa acomodar a esposa grávida. Uma “Noite de Amor” cuja existência levou um rei insano e inescrupuloso a pré-meditar a morte de todos os bebês temendo ter seu trono usurpado. Uma “Noite Especial” em que uma mulher dá à luz seu filho dentro de um curral! Foi nessa Noite Santa, que o mundo virou palco de um evento que mudaria a História: o nascimento de Jesus Cristo!

Neste natal, por mais que nossos corações tenham sofrido, por mais que não saibamos entender os acontecimentos que a vida nos propõe, ou ainda por mais que estejamos bem, temos um motivo maior para nos alegrar: Jesus nasceu e Ele é a razão de cada amanhecer que vamos experimentar em nossa existência, pois nossa alma até pode chorar por uma noite inteira, mas a alegria, certamente, Ele que é a nossa Estrela da Manhã, a trará aos nossos corações.

Feliz Natal e um Ano Novo abençoado e abençoador!

Ah! Recebi por e-mail um lindo e delicado vídeo de um Cordel de Natal. Compartilho-o aqui para o seu divertimento, emoção e inspiração.


video

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã


Naquela tarde fúnebre, enquanto o vento forte e frio batia nas nossas faces tentando secar as lágrimas que escorriam num jorro sem fim, fiquei olhando a figura dela inerte dentro daquela urna. Meu Deus! Isso não está acontecendo!

Sabemos que a dor de perder alguém a quem se ama é terrivelmente grande, mas só conseguimos perceber a dimensão exata dessa dor quando a sentimos. Como eu queria que ela ainda estivesse aqui, encantando a todos com seu “sorriso grande” e com seu “jeito Barbie” de ser. Cheguei a pedir ao nosso Pai que ela ficasse mais um pouquinho com a gente, mas o desejo dEle de tê-la ao seu lado era muito maior que o meu.

Fiquei olhando a multidão que veio se despedir. Quantos amigos! Ela amou a muitos e foi amada por eles. É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, pensei. É preciso abraçar quando se tem oportunidade. É preciso conversar, sorrir, escrever e-mails, telefonar, sair pra passear, é preciso convidar para jantar. É preciso estar junto no momento da dor, é preciso interceder, é preciso dar um presente de aniversário, é preciso relevar, é preciso fazer um carinho, é preciso dizer “você está bonito(a)”. É preciso dizer “Eu te amo!”, sempre, todos os dias.

Como é bom ter uma amiga de alma, ela me escreveu uma vez. Na minha memória fica esse carinho, ficam os e-mails, os comentários no blog, as noites de quinta quando nos reuníamos na casa dela para estudo bíblico e oração, quando ao mesmo tempo eu convivia obrigatoriamente com o Nick numa terapia forçada contra meu medo de cachorro, rs. Na minha memória ficam as risadas, as piadas o choro e tudo o mais que tantas vezes compartilhamos. Ela não economizou amor durante a sua vida, prova disso era a presença de todas aquelas pessoas que vieram chorar a sua ausência. Para ela o hoje já não é uma realidade, mas pra nós o futuro reserva uma saudade que não cabe no peito, isso porque ela sabia que é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã.