segunda-feira, 28 de março de 2011

Cada macaco no seu galho

Imagem: pesquisa Google
E também os cachorro, gatos, coelhos, papagaios e o que mais for. Hoje vou levar ao pé da letra o ditado popular tantas vezes aplicado ao comportamento humano. Tem coisa mais inconveniente que chegar à casa de alguém e encontrar o animal de estimação da família zanzando pra lá e pra cá? Eu fico aborrecida... Tudo bem, você pode discordar de mim, mas deixe eu me explicar.


Já passei por situações embaraçosas por conta desse hábito da maioria das pessoas, por um motivo muito simples: tenho pânico de animais! Minha criação teve a séria deficiência de me privar do convívio com bichinhos de estimação – eu não podia sequer me aproximar de um, era ameaçada de apanhar. Por conta disso, adquiri um transtorno terrível que já me causou muito mal estar, um comportamento nada saudável, eu sei, mas...

A verdade é que a fobia – ou medo exagerado de alguma coisa que compromete a reação da pessoa diante do perigo – é algo que não se pode controlar. E por ser o medo um sentimento totalmente controlável e tão comum a todo mundo, muitas pessoas taxam de frescura as reações ditas “exageradas” de medo excessivo.

Mas seja empático por um instante. Imagine chegar à casa de um amigo pra jantar e ficar exposto a algo que te apavora! Não é apenas uma situação desagradável, a pessoa simplesmente trava e o programa já era. Já cometi muitas gafes por conta disso, e posso assegurar que ouvir das pessoas “não precisa ter medo, ele não morde”, não ameniza em nada o constrangimento.

Por conta disso, minha sugestão a quem tem animais de estimação é: quando for receber, acho conveniente e muito gentil evitar manter o bichano ao redor dos convidados. Por mais que a maioria das pessoas adore animais, acho que cada coisa deve ser mantida em seu devido lugar. É melhor pra todo mundo. Para os normais, para os formais, para os fóbicos...

2 comentários:

Anônimo disse...

Também não gosto muito de animais, mas não chego a ter medo. Não deve ser fácil, mas o que eu sugiro é uma terapia para você vencer esse transtorno.
Abraços!
Margareth.

Georgia disse...

Célia, eu gosto muito de animais, mas pequenos, aqueles que a gente coloca na gaiola, rs.
Tivemos coelhos e tivemos porquinho da índia. As criancas queriam um gato, mas Christian é alérgico, ai, quiseram um cachorro. Embora eu goste muito, disse que nao, porque, como por aqui é mais inverno que qqr outra estacao o cachorro teria que ficar dentro de casa e eu detesto criar bicho dentro de casa. Tb concordo que se alguém tem um cachorro e vai receber alguém é melhor colocar o bicho num outro lugar, porque o cachorro pode estranahr a visita e ai como é que fica?

Bjao