terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sopa no pão italiano

Já tinha visto na internet, no site de alguma revista, e achei a ideia super simpática. Quando fui à Gramado no mês passado, encontrei um bistrô que servia, aí não resisti. Não só experimentei como coloquei na cabeça que faria em casa. E não é que deu certo?

Primeiro fiz para receber uns amigos. E como coloquei fotos no Facebook, outros se manifestaram querendo também, então fui pra casa de uma amiga no último sábado para fazer de novo.






quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Cuspido e escarrado



Tem coisa mais desagradável do que esse termo? Difícil pensar como o original se transformou nisso.

Ele significa que alguém se parece muito com outra pessoa. Certamente que um cuspe e um escarro não têm absolutamente nada a ver com a história alguma de semelhança. Então...

O que ocorre é que celebridades, autoridades e personalidades, ao longo da história, sempre tiveram sua imagem esculpida em pedra, bronze, ferro e tantos outros materiais, como forma de homenagem e reconhecimento. Era bastante usual que se esculpisse alguém importante em materiais de valor, como mármore, por exemplo. O próprio Michelangelo costumava usar o tipo Carrara para esculpir seus monumentos. Daí surgiu o termo “esculpido em carrara” para designar pessoas tão parecidas, como se uma fosse a cópia da outra.

Esculpido em carrara x Cuspido e escarrado. Tem dó!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Ele fuma como um Caipora!



Quantas vezes ouvimos essa frase, dita principalmente pelas pessoas mais antigas. Eu já ouvi inúmeras vezes e até já me peguei citando-a, e nem fazia ideia do que vem a ser um caipora. Mas como sou curiosa sobre a origem de tudo, fui em busca do que cargas d’água quer dizer isso.

Caipora é uma figura da mitologia tupi-guarani cuja finalidade é proteger os animais da floresta da ambição predatória dos caçadores. Dizem que ele confunde as pessoas fazendo barulhos, assoviando ou amedrontando de alguma maneira a fim de despistar o caçador e proteger a caça. No entanto, como todo mundo tem o seu preço – pelo menos é o que afirmam alguns – o Caipora a-d-o-r-a fumo e também gosta bastante de cachaça. Daí, basta que lhe ofereçam um bocado de fumo de rolo, dizendo “Toma, Caipora e deixa eu ir embora” que o fulano faz vistas grossas para o caçador.

É por conta dessa obsessão lendária que se diz que o fumante “fuma como um caipora”.