quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia Internacional de quem?



Compartilho com vocês a crônica de Arnaldo Jabour para sua coluna da Rádio CBN, na data de hoje, "Mulher não é enigma". Acho sua linguagem um pouco agressiva e tipicamente carioca-cafajeste (hehe!), por assim dizer, mas gosto também do seu tom mais realista e menos nhe-nhe-nhen, em relação a essa data tão romantizada. A conclusão merecia ser melhorzinha.  Para “ouvir” o texto abaixo, clic aqui.

Amigos ouvinte, hoje é o Dia Internacional DA MULHER.


Mas eu nunca conheci A MULHER. Já amei e odiei MULHERES. Então, por que esse título gerérico? Por que não há o Dia do Homem? Os homens são mais docificáveis do que as mulheres. Não há nessa generalização um desejo de fazê-las compreensíveis por medo da sua diversidade?


Não existe A MULHER. Existe a mãe de família, a perua, a piranha, a modelo, a bondosa, a malvada, a Eva, a Virgem Maria, a pobre, a rica, a feia, a bela. A Mulher, com “M” maiúsculo, talvez tenha sido invenção dos machos. Sempre que chega esse dia internacional, nós escrevemos sobre elas, elogiando o lado abstrato das fêmeas, sua delicadeza, sua coragem, sua beleza, em suma, textos de uma hipocrisia paternalista, como se falássemos de pobres ou de crianças ou de vítimas de alguma coisa. Claro que na história da humanidade as mulheres foram oprimidas, humilhadas, estupradas na alma e no corpo.

No meu caso, eu sou, hoje, o que as mulheres fizeram comigo, ou melhor ainda, eu sou o que aprendi com elas, no amor e no sofrimento. A cada mulher eu descobri defeitos e qualidades que me formam hoje, como acidentes que foram me desfigurando. Eram como um quebra-cabeça; ao tentar armá-lo, eu descobri que não tenho forma nem lógica e que sempre faltará uma peça na charada.

É claro que é um preconceito também essa mania de dizermos que as mulheres são incompreensíveis. A mulher não é um enigma. Nós é que somos. Nós é que achamos que há clareza. Os homens são mais óbvios, fálicos. Homem acha que é ciência, mulher sabe que é arte. Por isso me espanto quando chega o Dia Internacional DA MULHER . Existe alguma coisa que as unifique em uma identidade só? Talvez tenham em comum apenas um certo descaso pela nossa ideia de progresso, pela nossa ideia de política. Elas sempre estão ocupadas em manter viva a natureza e a espécie.

O dia internacional devia estimular uma ação política das mulheres, não apenas para defender seus direitos, mas para condenar a civilização de machos boçais que destroem o nosso destino.

Obs.: Em menção ao questionamento do autor no início do texto, o Dia Internacional do Homem existe, é no dia 19/11, desde 1999. Fonte: Wikipédia.

Nenhum comentário: