quarta-feira, 25 de abril de 2012

Novos tempos



Nunca sonhei com a maternidade.  Não sou como algumas amigas ou conhecidas que dariam qualquer coisa pra ter um filho. Houve um tempo em que cheguei a afirmar que jamais teria um, mas isso foi superado juntamente com as situações que geraram em mim essa falsa certeza. Com a maturidade eu soube que as histórias das pessoas não se repetem e que a minha própria história podia ser diferente. Então passei a considerar de novo a possibilidade de ter filhos um dia, mas como essa realidade parecia distante de mim... Tão distante que quando peguei aquele teste positivo minha única reação foi olhar para o Nilton e dizer, entre sorrisos e olhos esbugalhados: meu Deus, e agora?!


É estranho não saber explicar os próprios sentimentos. É difícil não compreender esse “é maravilhoso!” que todo mundo repete sem parar quando me cumprimenta. Claro que a notícia de uma gravidez é boa e alegre, mas ainda não faz muito sentido para mim. Na verdade, o primeiro impacto dessa novidade veio seguido de uma sucessão de sentimentos contraditórios. As sensações físicas mais desagradáveis do mundo, uma melancolia e uma indisposição que não dão trégua, meu paladar que já não anda tão apurado assim (minha cozinha anda tão abandonada, hehe), e o pior: o pânico pelo risco de perder aquilo pelo qual nunca ansiei, um medo estranho que me faz tocar o ventre entre duas ou três lágrimas e dizer baixinho: fica aí bebê, fica aí... Acho que ouvir aquele coraçãozinho foi fatal para a minha condição de mulher, acho que aquele som começou a me transformar. Acho que estou virando... mãe!

7 comentários:

Priscilla disse...

Que texto singelo, Célia. Um abração!

ЯลறOท disse...

Célia! Você é sempre tão autêntica com o que escreve. Muito lindo isso!

Ana Lucia Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Lucia Matos disse...

Que lindo Celinha! É isso aí, bem vinda ao time das mamães..hihihi
Bjim

Mary disse...

imagina, ñ está atrasada não, principalmente pq não lembro mais com exatidão a data do primeiro post do blog.. hehehe..

amiga fico muito feliz por vc, já passei por várias fases no quesito mãe, amoro crianças, sempre quis tê-las, por muito tempo tive certeza de que teria, agora ando mais na dúvida se isso acontecerá um dia.. fico muito feliz por vc, ficarei na maior torcida para tudo dar certo e para poder conferir mais notícias do seu bebê por aqui..

bjos mil e ótimo domingo..

Lúcia Soares disse...

Célia, é uma boa notícia e achei ótimo você não falar só das maravilhas da descoberta. Dá medo, sim, dá dúvida, dá alegria, tristeza, insegurança. Um mundo de sentimentos bons e nem tão bons.
Só na hora em que colocar esse serzinho nos braços vai entender que estará para sempre enlaçada nele. Mesmo depois do cordão umbilical cortado. Beijo e ótima gravidez.

Tati Jardim disse...

Parabéns Célia!!! Amei seu texto... como disse uma amiga sua... Singelo...e acrescentaria... verdadeiro.