segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Uau! Um ano já se passou!



Pois é, ainda tenho a lembrança bem fresca na memória daqueles dias passados na maternidade, da noite de sexta-feira em que tantas emoções, sentimentos e sensações me visitaram ao mesmo tempo, dentre eles uma mistura estranha de medo e alegria, durante o nascimento do meu bebê. E agora ele já nem é mais um bebê, mas um menininho de um ano!

Depois que deixei de ser a Celia, simplesmente, para me tornar a mãe do Felipe, descobri tantas coisas... Descobri repentinamente a perda da minha liberdade, o peso da renúncia, um senso extremo de proteção, descobri um encantamento inexplicável, uma disposição até então desconhecida para o cuidado, descobri que a educação prática é infinitamente mais complexa do que a teórica,  e descobri algo em especial: o que é dependência, mas não apenas a dele para comigo, mas especialmente a minha das outras pessoas. E com essa descoberta outro sentimento tem aflorado durante esse primeiro ano de maternidade: gratidão.

Não apenas como força de expressão, essa palavra, de fato, representa a chegada do Felipe em nossas vidas. Sempre fomos tão independentes, tão autônomos, no papel contrário ao atual, mais oferecendo nossos préstimos do que precisando dos outros. Mas aprendemos nesse tempo que gratidão é perceber de uma outra maneira como somos amados por nossa família e por nossos amigos, a cada vez que eles tornam mais fácil a difícil tarefa de sermos pais, quando os vovós tomam conta do pequeno para nós, quando nos dão alguma orientação, quando minhas irmãs e minha mãe vão lá em casa me dar uma força (e que força!) com os afazeres do lar que já não anda tão organizado como antes, ou quando nos atendem em qualquer outra necessidade, e com que carinho fazem isso tudo por nós! Como somos privilegiados!

Hoje, mais que por qualquer outra coisa, sou grata por essas pessoas tão especiais que tornam mais alegre e mais leve nossa jornada ainda tão curta como pais do Felipe.

4 comentários:

Jenyfer Martins Ramos Bezerra disse...

Lindo amiga...Parabéns. .vc é uma mãe maravilhoso. ..assim como Nilton...um pai sempre presente. .amo vcs. .bjao

Jenyfer Martins Ramos Bezerra disse...

Lindo amiga...Parabéns. .vc é uma mãe maravilhoso. ..assim como Nilton...um pai sempre presente. .amo vcs. .bjao

Lúcia Soares disse...

É isso, Célia.
Junto com o bebê, nascem um pai, uma mãe, pessoas até então desconhecidas por nós.
Mas é um momento único e delicado, que se repetirá a cada vez que vier outro filho. Cada um é especial, cada momento é único.
A vida toma outro rumo e a gente se descobre mais feliz, mais forte, mais compreensiva, com um poder desconhecido. Isso para o pai, também. Valoriza-se tanto a maternidade, o ato de parir, e se esquece que o pai tem uma importância fundamental em todo o processo. Ser pai também é "padecer no paraíso". rs
Felipe é lindo, forte e saudável, sempre abençoado.
Feliz todos os dias para ele e para os papais.
Beijo.

son cho disse...

dongtam
game mu
http://nhatroso.net/
http://nhatroso.com/
nhac san cuc manh
tư vấn luật qua điện thoại
dịch vụ thành lập công ty trọn gói
văn phòng luật
tổng đài tư vấn pháp luật
thành lập công ty
http://we-cooking.com/
chém gió
trung tâm ngoại ngữ

Toàn bộ sàn nhà dùng đều là thượng hạng tóc xanh gỗ lim trải thành, bốn phía trên vách tường treo một ít cổ xưa tranh chữ. Mỗi lần một cây dược liệu đều là chứa ở bất đồng hộp gỗ ở trong, sau đó từng tầng một xếp đặt đi lên, kia bên cạnh còn có một bài tử, trên đó viết kỳ thảo đích danh xưng, tác dụng, năm, cùng với trung trung kỹ càng giới thiệu, giống như mỗi cái giá sách bình thường chằng chịt mà hấp dẫn bài phóng lấy, làm cho người ta một loại tai nhu mục mới chi ý. Giá sách bốn phía bầy đặt một ít quý trọng hoa cỏ, khiến cho phong cách cổ xưa bên trong mang theo một điểm tự nhiên cùng với một điểm hiện đại hương vị.

"Đúng vậy, coi như không tệ!"

"Tiền bối nếu là cần càng thêm đẳng cấp cao kỳ thảo, mời theo ta bên trên lầu hai."

"Như thế rất tốt!" Theo dẫn đường nam tử, Tiêu Viêm bước nhanh đi tới "Kỳ thảo